Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Bonded By Blood (1985)

Álbum de Exodus

Acessos: 187


Uma aula de Thrash Metal

Autor: Fábio Arthur

18/01/2019

Quando se fala em metal pesado, logo surgem inúmeras bandas na cabeça. Mas, algumas delas são e foram fundamentais para inovação da vertente de gêneros variados do Heavy Metal.
O Exodus representa uma dessas bandas, em que se abriu as portas para o estilo Speed/Thrash rasgado e totalmente cultuado pelos fãs de metal ao redor do mundo.
Em verdade, antes mesmo do debute de 1985, o grupo estava indo em uma sequência de concertos e angariando fãs. Na época, um dos  guitarristas da banda era Kirk Hammett (Metallica), e após sua saída a banda, além de demos, conseguiu um contrato com a Combat Records. Assim, seriam agraciados nessa fase com um disco fabuloso em mãos, cru, denotado de boa técnica na vertente e com uma veia incisiva que iria gerar inúmeras bandas copiando mundo afora. E acabou sendo considerado um dos baluartes do heavy metal pesado por críticos e fãs.
Uma curiosidade desse disco, foi que o mesmo acabou sendo o único gravado pelo vocalista – em termos de estúdio -, Paul Baloff (R.I.P.), e que deixou sua marca registrada de forma brilhante a absoluta.

A arte concebida por Doanld J. Munz nos brinda com a essência do metal oitentista, misturando horror com a ferocidade exibida em tantas outras do gênero, isso durante uma década toda; assim combinando com o disco de forma plena. 
“Bonded by Blood” já passou por regravações, remasterizações e mudanças de arte. No fim, esse original ainda se faz o melhor de todos e é referência viva de um período precioso dentro do estilo.

A pauleira segue aqui sem tréguas. A já citada faixa-título começa alucinada para, em seguida, deixar o disco fluir na mesma proporção. 
Pode ouvir no talo, e sem receio!


Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: