Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Reflections! (1989)

Álbum de Twenty Sixty Six and Then

Acessos: 788


Um álbum que deve ser ouvido

Por: Rafael Lemos

30/04/2018

Este é, provavelmente, o trabalho mais incrível que já escutei dentro da sonoridade progressiva com fortes influências de Hard setentista. Se trata de um álbum coeso, pesado, cheio de improvisações e detalhes, onde se sobressai o órgão (ao estilo de um John Lord tirbinado) e a voz rouca que harmoniza com as composições. Até a ordem de músicas são perfeitas.

"Reflections!" inclui o álbum "Reflections on the Future", de 1972, na íntegra mais duas faixas bônus que não entraram disco na época. Após 1989, ele foi relançado com versões diferentes das músicas, pois foram alteradas em estudio: recomendo a audição da edição de 1989 mesmo - ou a original de 1972.

As letras também merecem destaques, variando de problemas pessoais ("Autum"), reflexões sobre idade ("At my home"), problemas amorosos ("The way that I feel today), mas a melhor letra está em "Butterking" uma crítica política em metáfora.
Mas é no instrumental que a coisa pega: todas as palavras são onsugicientes para descrever a sua grandiosidade. O baixo marcante, a guitarra certeira, a bateria complexa e o órgão intrincado se contrastam com a leveza da flauta e com a impressionante voz.

A edição de 1989 é bastante rara, pois foi limitada em 1000 cópias mas vale a pena investir uma boa grana nessa obra prima da época quando a encontrar. O encarte também é uma beleza a parte, pois está inserido nas paredes da própria embalagem, que vai se abrindo e revelando fotos, curiosidades e letras.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.