Para os que respiram música assim como nós


Resenha: What's Words Worth? (1983)

Álbum de Motorhead

Acessos: 560


Disco pouco conhecido lançado no Brasil

Autor: Mário Pescada

24/03/2018

O MOTORHEAD, sendo a instituição que é, dispensa apresentações. Porém, muita gente, mesmo fãs de longa data da banda desconhecem “What´s Words Worth? Live Recorded 1978” e agora tem a oportunidade de ter acesso a esse registro histórico dessa inigualável banda lançado no Brasil pela Hellion Records.

O disco foi gravado ao vivo dia 18 de fevereiro de 1978 no Roundhouse/Londres, durante a participação da banda em um evento beneficente para arrecadar dinheiro para a preservação dos manuscritos de William Wordsworth (poeta inglês) - sendo que a banda não se apresentou como MOTORHEAD, mas sim como IRON FIST AND THE HORDES FROM HELL.

Acontece que o show acabou sendo gravado sem a permissão de quem deveria e, por conta disso, o rolo jurídico entre gravadoras só foi desfeito anos depois, sendo o disco finalmente lançado em 1982! Aliás, o MOTORHEAD só teve dor de cabeça no começo da carreira: seus dois primeiros discos, “On Parole” (1975) e “Motorhead” (1977), também tiveram problemas contratuais na época e acabaram sendo lançados fora da época em que foram efetivamente gravados.

Na época da gravação, o MOTORHEAD estava engatinhando: anos antes, Lemmy havia sido chutado do HAWKWIND e a banda tinha perdido seu guitarrista e baterista originais (Larry Wallis e Lucas Fox, respectivamente), por isso a quantidade grande de covers presentes no set - nessa época a banda passava muito perrengue e por muito pouco não chegou a encerrar as atividades.

Um dos charmes de “What´s Words Worth? Live Recorded 1978” é que ele tem o registro dos primórdios da banda eternizados. O trio Lemmy - Philthy Animal - Fast Eddie Clarke estava formado e já é audível como que aquela formação tinha tudo para dar certo. Quem estava ali presente não podia sequer imaginar que esse mesmo trio iria tomar o mundo de assalto poucos anos depois com a trinca de ouro “Overkill” (1979), “Bomber” (1979) e “ Ace Of Spades” (1980).

Como todo disco ao vivo do MOTORHEAD, estão ali a adrenalina e força que fizeram seu nome nas décadas seguintes. O disco soa alto, enérgico, com o baixo distorcido de Lemmy disputando espaço com a guitarra afiada de Eddie Clarke, enquanto Philthy Animal já demonstrava suas técnicas que inspirariam muitos bateristas futuramente. A pegada aqui é mais rock n´ roll do que metal, apesar da banda já ir pisando no acelerador sobre os covers feitos.

Aliás, a sequência de quatro covers a partir de “Leaving Here” é um show à parte, você ouve e até acha que são músicas da banda de tão pessoal que ficaram os arranjos e por conta do andamento acelerado das músicas.

Uma curiosidade: “What´s Words Worth? Live Recorded 1978” foi o primeiro disco ao vivo da banda gravado, porém foi o segundo a ser lançado (os rolos do início, lembram?): isso porque “No Sleep 'til Hammersmith” foi lançado antes, em 1981, e “What´s Words Worth? Live 1978” acabou vindo à tona ao fim para aproveitar um pouco mais do crescente sucesso que a banda fazia no começo da década de 80.

Contratempos de gravadoras a parte, sorte nossa, dos fãs, que temos a chance de ter mais um petardo do MOTORHEAD em mãos.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: