Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Captain Fantastic And The Brown Dirt Cowboy (1975)

Álbum de Elton John

Acessos: 158


A odisseia sonora

Por: Fábio Arthur

08/07/2021

Como não poderia ser diferente, Elton John sempre trouxe um trabalho coerente e de alto nível, principalmente nos anos setenta. E esse nono disco do artista, representa essa virtude; intocável. 

Dois pontos interessantes é que esse seria o último álbum de década em contar com elemento banda de apoio clássica de Elton. Já pelo outro lado, aqui a parceria com Bernie Taupin seria ainda mais fértil, ultrapassando os limites de composições. 

O trabalho vem como o favorito de crítica, sendo dotado de uma performance musical/vocal, altamente imortalizada em cada momento do disco. Com a produção alinhada de Gus Dudgeon e gravado na Holanda, o som chega mais na linhagem do Rock, com arranjos e guitarras suavizadas mas que compõem um lado frutífero e muito bem requintado. 

O trabalho "Captain Fantastic and the Brown Dirty Cowboy", foi lançado pela MCA records. O álbum tece seus 46 minutos, totalmente mergulhados em faixas bem elaboradas. O conceito do trabalho surge como as definições e dificuldades (experiências) vividas por Elton John (Captain Fantastic) e Bernie Taupin (Brown Dirt Cowboy), e o tema central reflete na arte de capa, principalmente na interna do disco. A artwork - conceito - foi baseado na pintura/gravura "O Jardim das Delícias" de Hieronymus Bosch e que, por sua vez, acabou sendo elaborada por Alan Aldridge. De fato, ao que se conhece, todas essas imagens do conceito representam as passagens de vida de Elton. 

As canções são bem acertas, e que temos aqui até mesmo uma versão de "Lucy in the Sky with Diamonds", dos The Beatles, com clima amplamente envolvente. "Someone Saved my Life Tonight" também é de ótima referência, e logo de cara na abertura, com a canção título, a coisa entra em um eixo certeiro e de gosto apurado e fino. "Tower of Babel" e "Tell me When the Whistle Blows" são enérgicas musicalmente falando em melodias e intepretações. 

A fina arte em complemento ao nível superior musical, e que estampa toda essa fúria emocional e envolvente. Esse entra de fato em qualquer lista dos 100 mais, e vale cada segundo musical. Uma verdadeira odisseia!

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.