Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Passos No Escuro (1985)

Álbum de Zero

Acessos: 109


Na minha opinião, um dos melhores álbuns de Rock do Brasil

Por: alexmachad

11/06/2021

Nesse álbum de 1985 da banda de São Paulo chamada Zero conseguiu uma proeza: juntar o Rock Progressivo, New Wave e o Pós-Punk em um álbum brasileiro, tudo tocado com muita qualidade. É difícil dizer que esse álbum ficou datado, mesmo com claras influências da época.

Os destaques desse grande álbum brasileiro de 1985 são: “Formosa”, que tem uma introdução muito boa do guitarrista Eduardo Amarante; “Agora eu Sei”, que tem a participação do Paulo Ricardo do RPM; “Os Olhos Falam”; “Passos No Escuro”; “Quero Te Contar” e “Cada Fio Um Sonho”.

Um álbum curto, porém muito bom. Os músicos dessa banda são muito bons e parecem realmente saberem o que querem passar com os instrumentos que estão tocando e isso se reflete em quem ouve. 

Quem lê minhas resenhas já reparou que não costumo comentar muito as letras dos artistas, mesmo os nacionais e isso tem um motivo: a interpretação é algo pessoal. Tem letras tanto nacionais quanto internacionais que são herméticas e são difíceis de dizer em palavras o que o compositor quer dizer de forma literal, fora a dupla interpretação de um mesmo texto. Vou dar um exemplo de uma música de um artista: Belchior. A letra da música “Coração Selvagem”, de 1977 pode ter diversas interpretações e garanto que o Belchior tinha em mente a interpretação dele para a letra, que não é a que muita gente tem hoje ou a cantora Ana Carolina tinha quando cantou essa música.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.