Para os que respiram música assim como nós


Resenha: A Passion Play (1973)

Álbum de Jethro Tull

Acessos: 99


Pedante

Por: Daniel Lucena

22/03/2021

Seria mentira afirmar que o Jethro Tull não sabe tocar. São excelentes instrumentistas. Martin Barre continua se destacando com sua guitarra, Jeffrey Hammond-Hammond continua a impressionar no baixo e Ian Anderson se desdobra com seu peculiar vocal somado a uma convincente performance com seu saxofone.

O problema não é saber tocar, o problema é saber seduzir o ouvinte com sua habilidade e aqui a banda falha! Forçaram a mão na complexidade da história que conduz o "conceito" do álbum. O instrumental soa redundante ao longo da longa faixa dividida pelos lados do vinil em um exercício ultra-pedante. Os trechos narrados são longos e maçantes além da paciência

Uma obra que a despeito da louvável ambição, tropeça na própria pretensão. O Jethro já teve obras melhores tanto antes como depois.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.