Para os que respiram música assim como nós


Resenha: The Absolute Universe: The Ultimate Edition (2021)

Álbum de Transatlantic

Acessos: 265


Pacote com os dois álbuns compensa cada centavo

Por: André Luiz Paiz

18/03/2021

Adoro a postura da maioria dos fãs de música progressiva. Os caras (me incluo nesta turma) querem ter o produto em mãos, e se possível a melhor versão. É também uma forma interessante de apoiar o artista, já que essas bandas dificilmente chegam ao mainstream e precisam muito desse suporte.

Com o anúncio do lançamento de um novo álbum do Transatlantic, as expectativas já foram lá em cima. Quando ficamos sabendo que seriam dois álbuns distintos, sendo um deles duplo, e que traria músicas a mais e até mesmo alguns temas com melodias diferentes, começamos a nos coçar ainda mais. E o resultado foi simplesmente matador, "The Absolute Universe: The Breath Of Life" - versão simples, e "The Absolute Universe: Forevermore" são simplesmente brilhantes e mostraram a força do progressivo atual.

E agora vem a pergunta, se foram lançados dois álbuns, o que seria o "The Absolute Universe: The Ultimate Edition"? Simples, trata-se de um pacote contendo as duas versões em CD citadas anteriormente e mais um Blu-Ray com uma magnífica mixagem em 5.1, além de um documentário tipo making of de uma hora.

Os dois CD's foram resenhados brilhantemente pelo meu amigo Tiago Meneses aqui no site, e já deixo aos leitores a dica para conferir estes textos. Levando isso em consideração, falarei um pouco sobre o documentário.
Os quatro álbuns anteriores do Transatlantic foram gravados nos Estados Unidos. O procedimento sempre foi o mesmo: Pete Trewavas e Roine Stolt pegavam suas malas e partiam para o estúdio - geralmente de Neal Morse - para trocar ideias e começar a direcionar o projeto. Porém, desta vez foram obrigados a inverter os papéis, já que Portnoy e Morse foram dos Estados Unidos para Varnhem, Suécia, um pouco antes do início da pandemia, e lá encontraram Pete para dar início. Neal atribuiu a questão a Donald Trump, que impôs barreiras para estrangeiros adentrarem ao território que comandava. Curiosamente, Mike Portnoy, que era contra o governo Trump, completa a informação dizendo que é a primeira vez que precisa gravar um álbum fora dos EUA.
Polêmicas de lado, o documentário mostra a banda em estúdio e criando, com o expectador como um visitante que tem o privilégio de acompanhar todo o processo. A banda debate, mostra ideias, as registra em um quadro e os demais membros vão aos poucos manifestando suas opiniões, passando uma peneira até chegarem nos temas desejados.
Mais pro final, a banda encerra as atividades na Suécia e parte para casa, onde podemos ver imagens dos músicos registrando suas linhas e quais equipamentos estão usando. Conseguiram criar tanto material, que chegaram a ter ideias de melodias distintas para o mesmo tema, e foi assim que posteriormente partiu de Mike Portnoy a brilhante ideia da produção de dois álbuns separados. Só depois, lá pra julho de 2020 e já durante a pandemia, começaram a desenvolver a versão mais curta, que se tornou  "The Breath Of Life",

E agora os álbuns foram lançados e estão sendo aclamados como merecem. As duas versões são extremamente recomendadas, então, por que não adquirir a "The Absolute Universe: The Ultimate Edition"? Vale cada centavo.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.