Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Snow Live (2017)

Álbum de Spock's Beard

Acessos: 314


Reencontro emocionante

Autor: André Luiz Paiz

14/02/2018

Logo após o lançamento do clássico e espetacular "Snow" em 2002, os membros do Spock's Beard foram pegos de surpresa com a notícia da saída precoce de Neal Morse. Recém-convertido ao cristianismo, Neal queria explorar estas temáticas em suas composições, sem ter que forçar o restante do conjunto a trilhar por este mesmo caminho. Assim, sem realizar ao menos uma turnê de divulgação, a principal mente criadora do grupo começava a sua carreira solo.
 
Neal saiu, mas o Spock’s Beard resistiu. Com o excelente baterista Nick D'Virgilio aprontando uma de Phil Collins e assumindo também os vocais, a banda conseguiu se manter relevante lançando quatro bons álbuns, dividindo as composições entre os membos, o que gerou uma diversidade maior em suas músicas. Até que, em 2011, Nick D'Virgilio também decide por deixar o grupo, alegando problemas de agenda pelos seus inúmeros compromissos externos (Cirque du Soleil, Big Big Train, entre outros). Com a sua saída, novamente o Spock’s Beard resistiu e recrutou o ótimo vocalista Ted Leonard (Enchant e Thought Chamber).

O tempo passou, os planetas se alinharam, até que Neal Morse conseguiu algo notável, reunir o Spock’s Beard com ele, Nick e o restante do grupo para a execução ao vivo e completa de “Snow”, algo que, segundo eles deveria ter sido feito há muito tempo. A apresentação registrada e lançada em vídeo ocorreu em Nashville, em 2016, no Morse Fest, evento musical anual produzido por Neal.

Aqui em mãos tenho a versão em Blu-Ray, com dois discos, sendo que a primeira parte conta com o álbum duplo executado em sua integridade e a segunda contém a execução de “June”, “Falling For Forever”, canção de Neal cedida aos Spock’s para a coletânea "The First Twenty Years", e um “Behind The Scenes” bem legal.

“Snow Live” causará arrepios aos fãs, pois é executado de maneira impecável pelos músicos ali presentes. Sem buscar protagonismo, Neal Morse divide bem o posto de frontman com Nick, que curiosamente assume somente o microfone em alguns momentos, deixando as baquetas de lado. Para quem não conhece, é um excelente vocalista. Sua interpretação em “Carie” emociona. Ted Leonard parece um pouco deslocado, o que é compreensível, e assume os vocais principais em poucos momentos, como na excelente “Devil’s Got My Throat”. Além disso, auxilia também com o instrumental e vocais de apoio. O restante da banda vai muito bem e o tecladista Ryo Okumoto é um show à parte. Os fãs? Estes ficam ali, sentados, apreciando cada nota executada.

Se você é colecionador de shows e adora subir o som e curtir um grande espetáculo audiovisual, “Snow Live” é uma excelente pedida. Aproveito também para recomendar o DVD “The Making Off Snow”, lançado em 2004.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: