Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Fill The Void (2016)

Álbum de Jessie Laine Powell

Acessos: 68


Religioso e secular, mas, sempre competente

Por: Roberto Rillo Bíscaro

05/01/2021

Jessie Laine Powell atua no circuito de shows do estado de Kentucky há décadas. Sua voz granulada passeia bem quente pelo jazz, R’n’B e tem profundas raízes gospel. Sua intensa ligação religiosa – ela é filha de um missionário e começou cantando em igrejas – pode rechaçar quem entende inglês e não curte letras escancaradamente devocionais, como Make Me a Believer e Shalom, presentes no álbum Fill The Void. Em You´re OK – um dos melhores momentos vocais – ela canta sobre a diversidade divina de todas as formas de beleza.

Musicalmente, Fill The Void equilibra-se entre bossa nova, como Shalom e a regravação de Antonio’s Song, ode setentista a Tom Jobim com sua letra estereotipada que mistura frevo, Amazônia e samba. OK, se Tom não reclamou na época – imagine, amou! – para que o faríamos? Cheio de covers, o álbum acerta e arrasa no piano de Round Midnight, mas a modéstia da produção é realçada em My Funny Valentine. Para quem curte tecladinhos 80’s será paraíso, mas isso é sinal de escassez de verbas. Ainda assim, o vocal competente e a extensão dão interesse a uma canção que poderia ter voado muito alto com mais recursos de produção.

I Will Be Here For You é uma delícia de urban souljazz sobre alguém que estará lá para o que der e vier em clima que não desapontará saudosistas dos 70’s/80's. Lay It Down vem em 2 versões, uma delas apenas ao piano, embora a melhor seja a que tem arranjo mais tecladístico, especialmente se você é da época em que Anita Baker tocava em FM comercial. On The Edge disfarça bem seu caráter religioso - como trocentos sucessos negros ao longo dos tempos - em elegante mix que seria chamado de acid jazz há uns 15 anos.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.