Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Killing Is My Business... And Business Is Good! (1985)

Álbum de Megadeth

Acessos: 104


Primeiro impacto

Por: Fábio Arthur

03/01/2021

Começando a ser gravado em final de 84 e terminando somente em 1985, o Megadeth trouxe um nível cru e no estilo Thrash americanizado de época em "Killing Is My Business... And Business Is Good!"

Karat Faye produziu o álbum com alguma ajuda de Mustaine, já que o guitarrista não tinha mais como manter o produtor por falta de pagamento, e assim seguiu só. Com a banda se valendo do dinheiro da gravação para usar em coisas ilícitas, a fonte restante não dava para manter um bom padrão no estúdio.

Pouco mais de 30 minutos e gravado em Malibu, o grupo até despertou interesse dos fãs e assim seguiu com shows pela América. O trabalho rendeu umas 200 mil cópias e foi até algo bom naquele momento pois o Megadeth tinha vantagem de ter em Dave um ex-Metallica.

A versão de The Four Horsemen, do disco de estreia do Metallica e de coautoria de Mustaine, aqui veio como The Mecanix assim como era na versão demo. Skull Beneath the Skin e Rattlehead soam bem, que aliás o título dessa última é em homenagem ao mascote das capas várias do grupo. Em falando de arte, Dave desenhou a capa do disco, mas a gravadora alterou e assim só vindo original ser lançada em CD anos depois.

Mustaine resolveu cantar por não achar alguém a altura e assim acabou até ficando mais cru e áspero, o que combinou com a pegada do grupo.

Disco que quase não ouço mais e nunca fui muito fã, mas ainda é referência.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.