Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Firefly (1977)

Álbum de Uriah Heep

Acessos: 155


O Uriah sobrevive à saída de David Byron

Por: André Luiz Paiz

11/11/2020

Este é o primeiro de três álbuns com John Lawton, encarregado de substituir uma das mais versáteis e criativas vozes do rock. Após um show na Espanha, David Byron deixou grupo em definitivo em julho de 1976, levando em sua bagagem anos de experiência ao lado de um dos grupos mais interessantes do rock setentista, mas também alguns conflitos pessoais para lidar. O vocalista gravou quatro álbuns solo antes de falecer precocemente.

Além de Byron, o Uriah Heep também ficou desfalcado de John Welton, baixista e tecladista. Dispostos a seguirem adiante, recrutaram John Lawton para substituir David Byron e Trevor Bolder para a vaga de Welton, e assim fizeram um grande esforço para trazer novamente um trabalho relevante, já que o grupo oscilava bastante no período. "Firefly" é um belo disco, que mostra claramente a intenção da banda de soar mais objetiva, digamos assim, com a mesma intenção dos três ou quatro trabalhos anteriores a este, sem muitas complicações em seu som. A diferença aqui é que as músicas funcionaram. Com um vocalista que trazia uma nova proposta vocal, mais bluesy, o encaixe foi bem interessante.

Temos aqui um disco que conseguiu deixar a sua marca em grandes canções. As principais são: "The Hangin Tree" - brilhante, principalmente a participação de Mick Box -, "Who Needs Me" com seu excelente refrão, a bela "Wise Man" e a pesada "Sympathy". Mas está longe de ser apenas isso, já que "Been Away Too Long" traz um clima interessante e belas linhas vocais, e "Firefly", com Ken Hensley nos vocais, é uma composição primorosa. Aliás, palmas novamente para o saudoso músico, que novamente foi responsável pela maioria do material composto. Por fim, a energia de "Do You Know" nos traz algo de Purple e "Rollin' On" é uma delícia de curtir, com a banda surfando em sua bela melodia.

Aqui o Uriah Heep já não era mais aquele grupo do período clássico, mas mostrou que ainda tinha força e entregou em "Firefly" um dos melhores discos da fase pós-Byron.

Tracklist:
1. The Hanging Tree (Hensley / Williams)
2. Been Away Too Long (Hensley)
3. Who Needs Me (Kerslake)
4. Wise Man (Hensley)
5. Do You Know (Hensley)
6. Rollin’ On (Hensley)
7. Sympathy (Hensley)
8. Firefly (Hensley)

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.