Para os que respiram música assim como nós


Resenha: MTV Unplugged (1996)

Álbum de Alice In Chains

Acessos: 467


O belo álbum acústico do Alice In Chains

Por: Débora Arruda Jacó

26/10/2020

Da “safra 1990”, o Alice In Chains (conhecido também por AIC) é um dos meus grupos preferidos. Confesso que até hoje, o precoce falecimento do grande cantor Layne Staley me causa comoção... Mas, temos ao menos, a obra de Layne e claro, o Alice In Chains na ativa – gosto do vocalista William DuVall! Realizada a introdução, vamos à análise do MTV Unplugged do AIC. 

Nos 70 minutos (um pouco mais) de duração do álbum, o grupo apresenta uma boa performance, mesmo Layne já começando a demonstrar sinais de fragilidade em sua saúde: também contaram com a participação do músico Scott Olson em faixas como “Killer is Me”. O álbum abre com “Nutshell”, com um belo arranjo acústico, mas parecido com a versão original e com menos guitarras. Particularmente, gosto muito da versão acústica: Layne foi bem. A segunda faixa é “Brother” que originalmente tem a participação de Ann Wilson (Heart), demonstra força e vitalidade na versão acústica: me atrevo mais uma vez dizer, que os arranjos acústicos ficaram até melhores do que os de estúdio. A próxima canção é a ótima “No Excuses”, que permaneceu tão boa quanto à versão original. Uma parte que aprecio muito é quando os rapazes executam de forma descontraída o trecho de “Enter Sandman” do Metallica – ficou muito boa a homenagem!
“Sludge Factory” uma das melhores do AIC e a versão acústica, parece deixá-la melhor ainda. Os músicos estão incríveis e o vocalista interpreta muito bem. “Down In A Hole” ficou bem interessante, mantendo o clima da gravação original – considero como uma das mais “intimistas”. A sexta faixa, “Angry Chair” está bem próxima da versão original. “Rooster” também está muito parecida com a versão de estúdio, sendo bem executada pelos músicos nessa versão acústica. Em minha opinião, Layne deu o melhor de si nesse álbum – e conseguiu realizar um belíssimo trabalho. Mérito também para os demais integrantes, em especial Jerry Cantrell: sempre em destaque por sua competência musical e cabelos compridos (nesse tempo).
“Got Me Wrong” é uma maravilha de canção e essa versão ficou ótima. “Heaven Beside You” mantém a qualidade da versão original, com essa bela versão acústica. A conhecidíssima “Would?” continua ótima, mas com um pouco de intimismo. “Frogs” está muito legal: com introdução marcante, com incrível linha de baixo de Mike Inez, violão de Cantrell e um vocal forte de Layne. Impecável. “Over Now” tem o vocal de Jerry Cantrell demonstrando que também consegue ter talento como vocalista. Gosto bastante quando Layne e Cantrell harmonizam as vozes e aqui ficou bem legal, assim como na próxima faixa. A última é “Killer Is Me”, composição de Cantrell que acabou sendo apresentada pela primeira vez no Unplugged e segundo consta, já havia o refrão e o riff -  teve a letra finalizada algumas horas antes do programa. Encerra muito bem o trabalho.

MTV Unplugged Alice in Chains, é certamente uma das melhores edições realizadas para o programa. Vale a pena conferir.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.