Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Don't Break The Oath (1984)

Álbum de Mercyful Fate

Acessos: 361


Referência metálica

Por: Fábio Arthur

01/09/2020

Em 1984 - antes de resolver enveredar pela carreira solo - King Diamond trouxe esse álbum com sua banda, o Mercyful Fate, e o mesmo traz uma forte essência apurada de sonoridades e em continuidade da obra anterior.

Desde sua arte de capa e com conotações em letras de cunho oculto, a banda trafega em sons sem soar repetitiva e muito menos deixa em desejar, já que o grupo faz desse clássico uma aula de metal no sentido real da coisa.

A bateria de Kim Ruzz e o baixo de Tim Hansen soam perfeitos, em uma junção exata e furiosa. O contraste chega com a voz de Diamond e se fortalece com as guitarras em conjunto, formando uma verdadeira muralha sonora.

O álbum soa perfeito em cada faixa, mas podemos destacar alguns momentos sim, caso de canções como: "A Dangerous Meeting", um dos pontos altos da carreira do grupo, creio eu, seguindo, temos "Nightmare", "The Oath", "Come To The Sabbath" e a fabulosa "Gypsy", com sua melodia forte entre suas levadas de bateria possantes. 

Aqui a banda tinha uma fonte de elementos que de fato entraria para a história como um dos discos mais perfeitos de Heavy Metal - pois, Mercyful, de fato, traz a evolutiva metal para com seu som e desígnio -, um dos momentos mais profundos no cenário de época e que surgiu  como a fonte de inspiração para inúmeros outros grupos daquele período. 

Não se pode copiar ou soar igual ao Mercyful Fate, já que a banda tem seu próprio conteúdo, marcado por detalhes únicos. Apesar disso, o grupo foi muito bem visto pelos fãs, mas não pela mídia no geral; uma pena.

Enfim, mais um para coleção e que acaba sendo um trabalho dos mais bem executados dentro do Metal.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.