Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Under The Blade (1982)

Álbum de Twisted Sister

Acessos: 121


Impacto inicial

Autor: Fábio Arthur

16/08/2020

Não foi fácil para o Twisted Sister conseguir um contrato e muito menos a aceitação de público. A banda chegou em um momento em que o Heavy Metal estava começando em alta, rumou com seu estilo Glam sem mudar sua postura, e por isso pagou um preço. Quando conseguiram um contrato a coisa não foi tão bem, uma faixa a menos e uma produção crua, acabou por deixar a banda sem um apoio maior.

Enfim, após vários concertos, desafetos e vários nãos, chegaram em 1982 com a nova versão para "Under The Blade" e foi essa nova retomada que moldou o grupo e foi bem importante para a banda. 

Com uma arte de capa diferenciada e uma canção a mais chamada de "I'll Never Grow Up", bem rocker e hard, a banda obteve êxito. Com maquiagem, canções cruas e uma formação concreta, esse primeiro disco soa como um dos melhores do gênero.

A faixa título "Under the Blade" vem com o tema sobre Eddie Ojeda e uma cirurgia feita pelo mesmo, a canção é ótima dá título ao trabalho, e assim o Sister movimenta todo o aparato de forma muito relevante. "Bad Boys of Rock and Roll" tem uma melodia e refrão de ordem chamativa e eficaz. "Destroyer", pesada e sombria, é muito boa e mostra uma face bem de início de carreira. "Shoot Em' Down" mantém um clima bem agradável e acaba sendo agitada. Ao final após tantas outras canções, "Day of the Rocker" vem meio blues e encerra dignamente. Eu escutei a versão anterior e realmente deixa em desejar, mas essa surte o efeito positivo.

Um dos melhores discos do grupo, bem raiz e muito forte enquanto metal e rock. O disco vale cada nota, bem apropriado para quem curte o estilo.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: