Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Nós Vamos Invadir Sua Praia (1985)

Álbum de Ultraje A Rigor

Acessos: 327


Segura que é Rock

Por: Fábio Arthur

19/07/2020

Em 1985 a WEA lançou esse trabalho. O grupo já vinha batalhando algo, mas de forma difícil, que somente foram sanar com lançamentos de dois singles, e depois a coisa toda rumou para o LP inteiro. 

O nome do álbum, veio de uma brincadeira entre paulistas invadindo o espaço rock dos cariocas. O álbum ganhou a platina e foi sucesso na TV com o vídeo clipe da faixa título, Nós vamos invadir sua praia. A banda aqui contava com Carlinhos, um ótimo guitarrista e que deixou o grupo após as gravações e alguns shows.

No trabalho temos artistas fazendo parte do contexto tais como; Lobão e Hebert Vianna. As letras são bem sacadas. Hoje ainda as canções soam bem, mas obviamente o grupo teve seu ápice entre esse e seus dois discos póstumos, para cair depois em ostracismo, sendo que ainda vive do nome e seu glorioso passado.

Mim Quer Tocar acabou sendo um Reggae em torno do disco, mais para o rock ou Surf Music, mas ainda a canção acabou ficando como predileta de mídia. Eu Me Amo, o hino narcisista e com bateria eletrônica flui bem e se Roger canta muito mal, por outro lado o tema e interpretação acaba sendo resoluto. Rebelde Sem Causa tem o tom adolescente e Ciúme soa bem pesadinha com final gritante e ágil. Outro momento seria a canção Marylou, que foi censurada a sua execução radiofônica e teve a letra alterada para entrar no disco.

A arte do disco ficou bem a cara da banda, no estilo brincalhão e a produção soou muito bem regulada. 

Um dos álbuns mais marcantes do cenários oitentista

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.