Para os que respiram música assim como nós


Resenha: In The Shadows (1993)

Álbum de Mercyful Fate

Acessos: 187


Retorno magnífico

Autor: Fábio Arthur

22/06/2020

O Mercyful Fate talvez seja uma das poucas bandas em que não se pode acusar de serem sem qualidades ou de obsoleta. O grupo nunca deixou de ser importante para os fãs e não se vendeu em nenhum momento na carreira. "In the Shadows" trouxe o terceiro trabalho da banda após um hiato em anos, e o disco soa perfeito. 

A banda já havia feito dois álbuns ótimos anos antes e durante o período de afastamento, King Diamond rumou com sua carreira solo, perfeita diga-se. Mas, voltando em Mercyful Fate, o grupo navega em direções com ótimos arranjos, uma bateria suprema e o baixo altamente cuidado, sem esquecer das melodias do trabalho. Um dos efeitos desse retorno seria na parte das letras. Nesse disco, a obra se afasta um pouco dos temas satânicos e se coloca em temas do horror, com passagens parecidas com os álbuns solos de King. E ainda existem os temas instrumentais, como "Room of Golden Air", que aliás soa bem soturna. 

A banda trouxe os vídeos necessários para poder divulgar o disco e obviamente a turnê ocorreu, estavam em uma ótima fase. Confesso que ouvi novamente o álbum e dei uma olhada nas letras, que aliás sempre chamaram atenção nos trabalhos de King Diamond e do grupo Mercyful Fate. Enfim é um disco, perfeito, dotado de ótimos evolutivos e com uma arte de capa perfeita.

"Egypt" a faixa maravilhosa de entrada e com melodias e vocais absolutos. "The Bell Witch" traz a exuberância e qualidade de sempre. "The Old Oak" e "The Legenda of the Headless Rider" são obras-primas e a segunda soa muito macabra em alguns termos. Ao final, uma regravação de "Return of the Vampire", também ótima e traz um vontade de colocar o álbum do início e rolar tudo novamente.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: