Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Living In The Material World (1973)

Álbum de George Harrison

Acessos: 269


Estabelecendo um novo George Harrison

Por: André Luiz Paiz

19/06/2020

Nos últimos anos de existência dos Beatles era nítido o desconforto de George Harrison com o status do grupo. Simplesmente não conseguia se encaixar ali, naquele meio de fama, dinheiro e também muito interesse e falsidade. Porém, mesmo após se afastar dos demais membros da banda, George ainda assim ficou em evidência, pois seu amadurecimento como compositor estava cada vez mais nítido e isso ficou estampado quando lançou o LP triplo e clássico "All Things Must Pass".

"Living In The Material World" é o segundo disco de George após o fim dos Beatles. Um disco de produção menos ambiciosa, mas com a mesma sensibilidade do anterior. Ótimas composições e um grande trabalho com vocal e guitarras também colocam este disco na lista dos grandes álbuns dos ex-Beatles.
O álbum demorou um pouco para sair, pois George era agora também visto como um herói. Seu projeto que gerou o álbum ao vivo "The Concert for Bangladesh" foi muito elogiado. Um evento gigante, beneficente e que foi gravado por câmeras e lançado em cinema, contando também com a participação de grandes nomes da música - mas somente Ringo Starr da sua ex-banda. Só depois conseguiu voltar para o estúdio, ocasião em que George trouxe um mix de sentimentos em relação às suas frustrações, espiritualidade e também o relacionamento com Pattie Boyd.

Temos como faixa de abertura a lindíssima "Give Me Love (Give Me Peace on Earth)", uma balada bela e uma das melhores faixas da carreira de George. Depois, temos o amargor do final da fase Beatles com "Sue Me, Sue You Blues", em que George faz referência ao ex-empresário da banda, Allen Klein. Uma faixa interessante e que foge do convencional. Seguindo adiante, temos a balada  "The Light That Has Lighted the World" que, assim como "Be Here Now", traz um George sensível e melancólico. Nesta linha temos também a lindíssima "Who Can See It", que emociona. "Don't Let Me Wait Too Long" é pop e acessível, trazendo um pouco dos tempos do álbum branco dos Beatles, "Abbey Road" e "Let It Be". A faixa que dá nome ao álbum e também "The Lord Loves the One" trazem os pensamentos de George quanto às suas crenças. Das duas, gosto mais da segunda, com levada pop e um pouquinho de blues que deixa a audição bem prazerosa. Por fim, temos uma trinca de faixas mais lentas para encerrar o disco: "Try Some, Buy Some", "The Day the World Gets 'Round" e "That Is All", que fez alguns fãs com certas expectativas questionarem se este realmente é considerado um disco de rock. Mas, removendo os rótulos, fica claro que há uma dedicação enorme de George em termos de interpretação e inspiração.

O remaster de 2006 traz também as faixas "Deep Blue" e "Miss O'Dell", b-sides da época.
É curioso também ver como George cresceu como compositor, passando até a criar músicas para outros artistas - algumas destas obras compõem também este trabalho - e cada vez mais seguindo um caminho sem regras, compondo sem se importar com exigências de gravadoras e da mídia. Daqui em diante, George traria cada vez trabalhos mais distantes dos desejos midiáticos, numa busca do distanciamento e de sua paz interior.

Tracklist:
"Give Me Love (Give Me Peace on Earth)" – 3:36
"Sue Me, Sue You Blues" – 4:48
"The Light That Has Lighted the World" – 3:31
"Don't Let Me Wait Too Long" – 2:57
"Who Can See It" – 3:52
"Living in the Material World" – 5:31
"The Lord Loves the One (That Loves the Lord)" – 4:34
"Be Here Now" – 4:09
"Try Some, Buy Some" – 4:08
"The Day the World Gets 'Round" – 2:53
"That Is All" – 3:43

Músicos:
George Harrison – lead and backing vocals, electric and acoustic guitars, dobro, sitar
Nicky Hopkins – piano, electric piano
Gary Wright – organ, harmonium, electric piano, harpsichord
Klaus Voormann – bass guitar, standup bass, tenor saxophone
Jim Keltner – drums, percussion
Ringo Starr – drums, percussion
Jim Horn – saxophones, flute, horn arrangement
Zakir Hussain – tabla
John Barham – orchestral and choral arrangements
Leon Russell – piano (on "Try Some, Buy Some")
Jim Gordon – drums, tambourine (on "Try Some, Buy Some")
Pete Ham – acoustic guitar (on "Try Some, Buy Some")

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.