Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Another State Of Grace (2019)

Álbum de Black Star Riders

Acessos: 349


Hard Rock clássico em evolução

Por: Márcio Chagas

10/04/2020

O Black Star Riders nasceu em 2012, quando o lendário Thin Lizzy que contava apenas com o guitarrsita Scott Gorham da formação clássica, resolveu deixar apenas as apresentações ao vivo e entrar em estúdio para lançar material próprio. Na época, o grupo capitaneado pelo citado Gorham e pelo vocalista e guitarrista Ricky Warwick, resolveram criar um novo grupo para não manchar o legado de Lynott e Cia.

De lá pra cá a banda já lançou quatro discos de estúdio e passou por várias formações, sempre com a dupla supracitada liderando os trabalhos. Além deles, o atual line up do grupo é formado pelo baixista Robbie Crane (Ratt, Adler´s Apetite), o baterista Chad Szeliga (Black Label Society) e o estreante guitarrista Christian Martucci (Stone Sour), que substituiu o dissidente membro fundador Damon Johnson.

O som do grupo sempre foi calcado em um hard rock com guitarras em evidência e obviamente influenciado pelo Thin Lizzy, inclusive o timbre de Warwick é bem na cola do lendário Phil Lynott. Então o ouvinte já sabe previamente o que esperar quando vai escutar o grupo.

Porém analisando este novo lançamento, fica evidente que as mudanças na formação influenciaram na sonoridade da banda, trazendo à tona certa modernidade, cortesia principalmente de Martucci, que sendo mais jovem, trouxe influências mais contemporâneas para a banda contribuindo exponencialmente com composições e arranjos. Além disso, seu estilo se encaixou perfeitamente com o Gorham, um senhor de quase 70 anos de idade.

O baterista Szeliga também faz sua estreia em estúdio, trazendo certo Groove para a parte rítmica, ao contrario de seu antecessor, Jimmy Degrasso, que possuía um estilo muito mais pesado. 

O groove contido em “Soldier in the Guetto”, que soa como o Deep Purple da fase Hughes/Coverdale e o riff Sujo e poderoso de “Stand in The Line On Fire” são dois bons exemplos da contribuição dos novatos ao grupo.

Outras faixas que merecem destaque são: O southern “What Will It Takes”, com seu andamento midi tempo com base no violão e guitarra carregada de vibrato; a pesada “Underneath The Afterglow” com excelente riffs e hammonds ao fundo e solos de guitarra inspirados; 

A balada “Why do You Love Your Guns” mostrando que o grupo sabe compor  hards românticos com solos memoráveis de guitarra. E ainda “In The Shadow Of The War Machine”, uma canção de arranjo ‘musculoso” mas que flerta com o pop em alguns momentos;

Mas se você for fã hardoso do Thin Lizzy, sugiro começar ouvindo a faixa titulo; 

“Another State of Grace” foi gravado em Los Angeles em fevereiro de  2019 e lançado em setembro do mesmo Ano. O produtor Jay Ruston merece aplausos, pois soube deixar a sonoridade limpa sem descaracterizar o som de uma banda de rock. Ou seja, som sujo quando precisa ser, mas sem soar embolado.

Este disco não é superior ao lançamento anterior, “Heavy Fire” de 2017, mas se você gosta de hard rock sem firulas certamente deve conferir o trabalho do grupo.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.