Para os que respiram música assim como nós


Resenha: The Dead Daisies (2013)

Álbum de The Dead Daisies

Acessos: 580


Da última safra de supergrupos, cá está um dos melhores

Por: André Luiz Paiz

21/02/2020

David Lowy é o cidadão responsável por esta coleção de grandes artistas que responde pelo nome de The Dead Daisies. Formado em 2013 e hoje já consolidado, o grupo segue arrebanhando fãs ao redor do mundo com o seu rock clássico de qualidade.

A formação do primeiro álbum homônimo do Dead Daisies consiste em Jon Stevens (vocais), David Lowy (guitarras), John Fields (baixo e produção), Kevin Savigar (teclados) e Dorian Crozier (bateria). Além da banda, o álbum tem também a participação de Slash, Simon Hosford, Johnny Salerno, Isaac Carpenter e Vanessa Amorosi. Posteriormente, as participações cresceriam ainda mais.
O disco traz doze faixas, porém sua duração é de pouco mais de quarenta minutos. Isso é extremamente positivo, pois as faixas são acessíveis e diretas, sem deixar o trabalho cansativo. Além disso, o melhor de tudo: nenhuma, simplesmente nenhuma faixa é descartável, tamanha a qualidade do material. Aqui você encontrará um rock clássico com uma leve pitada de blues e southern. Muitas melodias, uma excelente participação de Stevens nos vocais e uma banda muito bem entrosada.

Destaques? Difícil citar, mas é indispensável curtir a participação de Slash em "Lock 'n ' Load", e também as faixas "It's Gonna Take Time", "Washington", "Miles In Front Of Me" e a balada "Yesterday".

Divirta-se!

Tracklist: It's Gonna Take Time Lock 'n ' Load Washington Yeah Yeah Yeah Yesterday Writing On The Wall Miles In Front Of Me Bible Row Man Overboard Tomorrow Can't Fight This Feeling Talk To Me

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.