Para os que respiram música assim como nós


Resenha: The Usual Suspects (2005)

Álbum de Joe Lynn Turner

Acessos: 300


Hard dos bons: honesto, apesar de irregular!

Autor: Diogo Franco

12/02/2020

Quando você acha que os anos 2000 está morto para o hard rock, eis que Joe Lynn Turner ataca novamente. Pra quem é fã do cara, esse disco é um prato cheio, porém com algumas ressalvas. Por exemplo: a falta daquela presença mais Aor nas canções deste trabalho. Claro que músicas como "Live and Love Again" e "Really Loved" estão representando bem o estilo que esperamos ouvir dele (e que diga-se de passagem ele executa com maestria), mas um disco que começa com "Power of Love" já mostra de cara que não vai haver muita tecladeira por aqui. O riff de guitarra é cortante e visceral , algo que nunca imaginaríamos existir num trabalho solo de Joe. Canção excelente, urgente e potente, perfeita pra abrir o disco e quem sabe shows também. Devil's Door mantém a linha hard pesada, bem como a corridaça "Jack Knife", que lembra muito "Death Alley Driver" do Rainbow. As referências não param por aí, pois "Ball and Chain" é descaradamente um plágio de "Heartbreaker" do Led Zeppelin. "Into The Fire" é uma música fantástica, que mescla bem o lado melodic/hard com acentos pop e um pitada de Aor. A melhor canção porém é a balada "Rest Of My Life" , onde Joe toca no fundo da alma com um refrão dolorido e sentimental como sempre faz em suas canções. 

Joe é um cara sem muita identidade pra gravar covers (ele grava de Iron Maiden a Backstreet Boys), porém, quando resolve compôr suas canções, ele acerta em cheio na maioria das vezes. O que ouvimos aqui é um disco irregular, porém, inegavelmente belo e honesto. Um retrato musical do artista versátil que é. 

Ouça sem preconceito, pois esse não é um disco comum às outras obras dele, mas a qualidade e o DNA estão aqui, intactos!!!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: