Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Bon Jovi (1984)

Álbum de Bon Jovi

Acessos: 70


Apostando no Hard

Autor: Fábio Arthur

10/02/2020

Jon Bon Jovi escutou que ele cantava mal e que sua banda e canções eram ruins. Poderia até ser mesmo, de fato. Sem produção adequada, sem uma banda coesa e com um timbre bom, mas de fraco apelo, Jon passou pelo circuito de fogo e foi adiante, provando aos críticos o contrário.

Nesse início que temos aqui, a banda chegou com tudo, talvez desde 1983 eles viessem melhorando e adquirindo experiência para conseguir o feito de gravar. Em janeiro de 1984, o grupo lançou esse debute, autointitulado e trouxe uma agradável surpresa. O disco permanece intacto e soa pesado, com ótimos riffs, bons vocais, ótimas faixas e uma produção até bem ajustada.

Lá foram eles, com disco na praça, começando a fazer tour e de cara vendendo 500 mil cópias; debutando com sucesso. A Vertigo e a Mercury investiram no grupo e eles foram ao Japão, no Super Rock Festival, e tocaram em outras arenas com KISS e até mesmo com o Scorpions, gigantes nessa fase. O line-up do grupo era matador  e a banda sabia fazer som ao vivo, desenvolvia bem. 

Com uma arte de capa bem inusitada, a banda chega aqui melhor do que seu disco sucessor, em entre vídeos para MTV e algumas faixas tocadas nas rádios, acabaram por ser os queridinhos das garotas e dos fãs de Hard Rock. 

O álbum traz várias faixas bem importantes, como o hit "Runaway", a pesadona e cadenciada "Roulette", a radiofônica e bem a cara do grupo, "She Don´t Know Me", a Hard "Shot Through the Heart", a balada forte e emotiva "Love Lies", a oitentista "Breakout", mais uma bem no estilo Bon Jovi de ser, "Burning for Love", uma menos importante, a canção "Come Back" e o final com "Get Ready". 

Em suma, um disco bem nos idos de década, mas que flerta com rock pesado, com um som ainda mais cru e assim mesmo um trabalho bem digno.

Comprei esse anos depois, pois entre 84 a 88 você somente conseguia via cópia ou importado, então, mesmo depois na era dos CDs, a coisa ficou difícil. Era um álbum menos visto por aqui. Uma pena, pois considero esse um dos melhores trabalhos deles, menos pasteurizado e mais sincero.

A banda depois rumou ao sucesso absoluto e está até hoje em seu posto, mesmo não lançando nada de significante nos tempos atuais.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: