Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Straight Shooter (1975)

Álbum de Bad Company

Acessos: 458


Administrando a fase de ouro

Por: André Luiz Paiz

04/02/2020

Com o enorme sucesso do disco de estreia, coube a Paul Rodgers apenas liderar o Bad Company para um trajeto seguro neste segundo lançamento. E deu certo! "Straight Shooter" foi lançado em 1975, ou seja, praticamente um ano após o seu antecessor, e traz a banda se afastando ainda mais do blues e focando no hard e rock clássico, angariando ainda mais fãs. 

O álbum possui oito faixas, com duas baladas que estão entre as favoritas de muitos fãs de rock: "Feel Like Makin' Love" e "Shooting Star". Ambas são uma delícia de ouvir. Mas não são só estes os destaques que temos aqui. Mick Ralphs compôs a excelente faixa de abertura "Good Lovin' Gone Bad", um ótimo hard e com excelente vocal de Paul. Na mesma linha temos também "Deal With The Preacher". Falando em blues, "Weep No More" nos remete ao início de carreira de Paul e funciona bem. Por fim, "Wild Fire Woman" é um rock eletrizante.
O álbum também possui algumas faixas menos brilhantes, como "Anna" e "Call on Me", que soam como fillers. 

"Straight Shooter" não supera o seu antecessor e disco de estreia do Bad Company, mas dá pra curtir tranquilo.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.