Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Hair Of The Dog (1975)

Álbum de Nazareth

Acessos: 98


Um álbum contagiante

Autor: Fábio Arthur

14/01/2020

Se eu fizesse uma lista dos discos mais importantes do Rock, esse estaria lá com toda certeza. 

O Nazareth lançava com esse, seu sexto trabalho de estúdio; e que disco meus amigos!

Para começar a falar dessa pérola musical, temos que nos atentar em dois fatores importantes. O primeiro deles o título do disco: "Hair of the Dog"  - que em uma tradução livre, seria, o cabelo do cachorro. Mas por que este nome? Na verdade é uma expressão típica da Escócia, de onde vem o grupo e é uma gíria designada para quem está de ressaca; isso mesmo. Em nossa língua ficaria difícil de se traduzir com exatidão, mas seria algo mais ou menos como "Você está somente o pó". Daí esse título, e realmente lendo a letra fica um pouco difícil decifrar, então dá-lhe pesquisa para chegar a esse ponto. Outra informação importante desse álbum, é que a canção "Love Hurts" - de fato uma cover, mas que veio ficar conhecida pelas mãos do Nazareth - saiu sim no disco na prensagem americana. Por isso toda vez que ocorre uma nota sobre esse álbum e/ou resenha, as pessoas ficam discutindo sobre a canção, dizendo que está errado que a faixa não pertence ao disco e etc. Essa música saiu em single na Inglaterra e boa parte da Europa, no Brasil de começo somente em coletâneas e nos USA ele entrou como última faixa do álbum. Anos depois, com advento do CD, ela acabou saindo em várias reedições. Enfim, a música vingou e tocou muito nas rádios. 

Para se ter uma ideia, o Nazareth vinha de ótimos discos até chegar nesse clássico, mas aqui eles se superaram de vez, e chegaram a vender dois milhões de cópias do mesmo. A banda fez TV, gravou vídeos e foi colocada junto com os grandes do Rock and Roll. 

O álbum é de 1975 e é calcado em Rock e Hard Rock, muito vigorosos por sinal. Após esse o grupo lançou coisas boas, algo mediano e também material bem fraco. Hoje sem o vocalista - que dá um show à parte no disco Dan Maccarthy - o grupo ainda traz um bom resultado ao vivo, mesmo que sem sua formação original. 

As faixas são ótimas e todas têm seu encanto, mas obviamente tem os destaques, e que destaques! Para começar, a canção título, "Hair of the Dog", depois a máxima e exuberante "Miss Misery" - e que vocal de Dan, causa arrepio a interpretação e o drive do cara. "Guilty" é outra faixa ótima e que esteve de fora de algumas prensagens. Também "Whiskey Drinkin' Women" e "Please Don't Me Judas", que fecha o álbum com suprema excelência. 

Se alguém quer realmente entender o que é o Nazareth, pode começar por este disco, porque ele marca não somente a banda como gigante mas traz um impacto em quem gosta de rock pesado, por sua desenvoltura e pelo talento alavancado e explícito dos músicos. 

Clássico de ponta!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: