Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Destiny (1988)

Álbum de Saxon

Acessos: 109


Controverso e espetacular!

Autor: Diogo Franco

13/01/2020

Nos anos 80, quase todas as bandas de metal (à exceção do Iron Maiden e mais alguns poucos medalhões) decidiram americanizar o seu som, tornando-o mais radiofônico (leia-se: foram quase obrigadas pelas gravadoras). Seguindo a onda de comerciais de cigarro como Hollywood, o Saxon introduziu vários teclados em seu som, fazendo um álbum que não causaria nenhum espanto se fosse lançado pelo Journey ou até mesmo o Europe. Não é um disco ruim, mas é estranho pra quem estava acostumado às pedradas anteriores como Crusader ou Rock the Nations. 

A abertura, um cover de Ride Like the Wind do Christopher Cross, provocou a ira dos bangers da época, mas é uma versão maravilhosa, transformada aqui num hard com pitadas de Aor e com resultado cativante. O clima pop/hard segue por todo o disco com canções como Song for Emma, S.O.S., a incrível Calm Before the Storm, entre outras. Os fãs de Hard à la Def Leppard (fase Hysteria) e Danger Danger irão se deliciar ao ouvir I Can't Wait Anymore, pois se trata de um melodic hard rock totalmente apaixonante. No fim, o saldo é positivo se você não for um headbanger cabeça dura e preconceituoso.

Os fãs de hard e aor vão amar. Os radicais passarão direto, mas o fato é que esse disco é simplesmente genial!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: