Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Fahrenheit (1986)

Álbum de Toto

Acessos: 176


Pop n' Roll com Maestria!

Autor: Diogo Franco

11/01/2020

Após a demissão de Fergie Frederiksen (alegando incompatibilidade com os outros integrantes ), o Toto se viu pressionado a manter o sucesso conquistado com seu quarto álbum (dos hits Rosanna e Africa) e Isolation (com uma pegada mais rock n' roll ). O resultado foi Fahrenheit, que apesar de não vender tanto quanto os anteriores (chegou ao disco de ouro apenas 8 anos após o lançamento ), atendeu às expectativas. Mais comercial que os outros, explorando bem o lado pop radiofônico, chegando a lembrar em alguns momentos Richard Marx e Phil Collins, esse álbum deu aos nossos ouvidos duas baladas incrivelmente bonitas: I'll Be Over You e Without Your Love, tendo a primeira chegado ao topo das paradas Adult Contemporary dos E.U.A. O álbum traz também a estupenda participação do lendário trompetista Miles Davis numa composição instrumental (Don't Stop Me Now). 

O Toto sempre foi musicalmente perfeito, mesmo assim os críticos os classificavam como frios, devido à sua execução impecável e produção polida em estúdio. Nesse álbum destacamos também uma grande participação do guitarrista Steve Lukather nos vocais, revezando com o magnífico Joseph Williams ao longo do disco. O fato é que esse álbum foi um grande acerto , pois agrada aos roqueiros , aos fãs de pop e baladas românticas, e também aos fãs de Aor. Faltou um pouco aquele punch progressivo que a banda imprimia nos outros discos, mas no fim é um álbum indispensável pra qualquer fã de boa música, independente de estilo preferido.  Obs : Qualquer semelhança com o Roupa Nova não é mera coincidência, pois o Guitarrista da banda brasileira já admitiu várias vezes ser um dos maiores fãs do Toto (se quiser conferir a semelhança escute as canções Lea e Can't Stand it Any Longer).

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: