Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Light Of Revelations (2019)

Álbum de Guilherme Costa

Acessos: 245


Notável amadurecimento

Autor: André Luiz Paiz

10/01/2020

Após chamar a atenção com o EP "The King’s Last Speech", lançado em 2017, o guitarrista mineiro Guilherme Costa traz enfim o seu primeiro e tão aguardado álbum solo.

"Light Of Revelations", assim como o EP, conta com a produção e ótima participação do vocalista Gus Monsanto. Aliás, desta vez, Gus também emprestou a sua voz para algumas das faixas, tornando o trabalho ainda mais interessante e acessível. O som está ótimo e com o peso necessário que um bom álbum de hard rock demanda. E não é só hard rock que encontramos por aqui. O álbum traz diversas nuances que atravessam desde o rock alternativo até o AOR, com uma boa pitada de metal no meio dos ingredientes. São oito novas faixas enérgicas e empolgantes, que garantirão a sua diversão.

As músicas de "Light Of Revelations" trazem temas líricos introspectivos e que debatem com as diversas facetas da personalidade dos seres humanos. Alinhado a este conteúdo, o instrumental conduz o ouvinte com êxito e encaixa de maneira bem satisfatória. Iniciando com a matadora "Fight Against Myself", Gus se sobressai com classe em uma ótima composição hard de Guilherme. "Bloody Wars" é a primeira instrumental e consegue manter bem o nível com seu ritmo empolgante e também hard.
Após um início bastante interessante, "Inside My Mind" chega para acalmar os ânimos, em uma balada instrumental que trazem as influências dos grandes guitarristas da cena em Guilherme. Joe Satriani, Steve Vai e Eric Johnson certamente estão sendo homenageados aqui. Seguindo, temos a balada "Rising Star", que nos faz lembrar de bandas como Gotthard e Mr. Big. Jefferson Gonçalves divide os vocais com Gus e surpreende com o seu ótimo timbre. Temos aqui mais um ponto alto do material.
Mais uma vez homenageando os seus ídolos, a instrumental "The Sound Of Hope" traz muito do AOR em uma melodia bastante positiva e agradável. "An Invitation To The Soul" é mais uma balada similar a "Rising Star". Por ser acústica e instrumental, não prende tanto como as anteriores, mas também não compromete.
Faltou velocidade? Não mais! Gus retorna aos seus tempos de Revolution Renaissance e detona na excelente e veloz "Light Of Revelations", outro grande momento. Por fim, "Homeland" encerra os trabalhos com classe, ousando como faz o Angra ao em mesclar ritmos nacionais como o baião com música pesada.  Uma grande faixa instrumental, com belas frases de guitarra e passagens extremamente interessantes.

O álbum também traz as três faixas do EP como bônus, o que achei bem legal, já que realmente foi lançado como uma introdução de Guilherme à sua carreia solo. "The King’s Last Speech" também foi resenhado pelo 80 Minutos e o link está no final do texto, assim como também o link para a entrevista exclusiva de Guilherme para o nosso site.

Guilherme conseguiu unir todas as suas influências em um trabalho acessível, dinâmico e de extrema qualidade. Seu amadurecimento é notável.

Apoie o artista e corra atrás da sua cópia de "Light Of Revelations". A diversão é garantida.

Resenha de "The King’s Last Speech": Clique aqui.
Entrevista de Guilherme Costa para o 80 Minutos: Clique aqui.

Faixas:
01. Fight Against Myself (feat. Gus Monsanto)
02. Bloody Wars
03. Inside my Mind
04. Rising Star (feat. Jefferson Gonçalves)
05. The Sound of Hope
06. A Invitation to the Soul
07. Light of Revelations (feat. Gus Monsanto)
08. Homeland

Bônus:
“Come On And Play”
“The Beginning Of A Journey”
“The King's Last Speech”

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: