Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Perfect Strangers (1984)

Álbum de Deep Purple

Acessos: 344


Um disco atemporal

Autor: Rodney Setti

22/11/2019

Eis aqui, talvez, e aí claro encontraremos gente que discordará dessa opinião, o último grande álbum dessa grande banda, "Perfect Strangers" é um trabalho que respira coesão, musicalidade e inspiração.

O Purple voltava de um hiato de quase uma década, nesse tempo seus músicos desenvolveram trabalhos e projetos pessoais, trabalharam com outras bandas e até se envolveram em produções musicais.

O mundo musical, bem como os fãs, colocava muita expectativa nesse trabalho, seria um "retorno" as raízes? A banda continuaria a linha musical desenvolvida após a saída de Blackmore da banda, onde Hughes e Coverdale trouxeram muita influência de ritmos e estilos black music?

Nada disso, todas as dúvidas se dissiparam quando o disco foi lançado, era o velho Purple em ação, e o melhor, uma banda com garra e vontade de mostrar que ainda poderia ser relevante comercialmente, musicalmente e artísticamente.

E eles conseguiram, desde a abertura com "Knocking at your back door", uma história com um fundo de anal(logia?) com uma dançarina, onde a capacidade da banda de compor grandes melodias permanece intocável.

Segue com "Under the gun", "Nobodys home", "Mean Streak", todas com uma energia acima da média, e claro, passando pela faixa título "Perfect Strangers", um primor de bom gosto, peso e melodia na medida certa, uma faixa inebriante, com todos os músicos mostrando um desempenho maravilhoso, e entendendo a importância que seria cada um deles se conter, em prol da excelência da faixa, sem "firulas" desnecessárias, não há solos, apenas o brilhantismos da cadência e do arranjo excepcional da faixa.

A linda balada "Wated Sunsets" mostra que a banda poderia compor uma balada sem fazer paródia de outras coisas que haviam gravado.

O trabalho ganhou disco de platina nos EUA, ouro na Alemanha e na Inglaterra, a turnê que o sucedeu foi uma das mais rentáveis da banda, inclusive foi estendida devido o grau de popularidade e vendagem que o Disco alcançou.

Infelizmente esse é o último grande Disco do Purple, o sucessor "House of the blue light" não é ruim, mas fica longe do desempenho mostrado em "Perfect Strangers",  as fraturas na relação do vocalista Ian Gillan e o guitarrista Ritchie Blackmore começaram a ficar evidentes, e o resto da história todos sabemos, mas "Perfect Strangers" merece ser degustado como um clássico do Rock, é um disco atemporal, e merece ser colocado entre os grandes Discos da banda, e isso não é pouco.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: