Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Love It To Death (1971)

Álbum de Alice Cooper

Acessos: 375


Alice enfim chegou

Autor: André Luiz Paiz

11/11/2019

Após o fracasso dos seus da proposta de um rock ácido e psicodélico dos seus primeiros dois álbuns, a banda Alice Cooper mudou-se para Detroit na tentativa de ser influenciada pela cena hard rock do local. Assim, junto com o jovem produtor Bob Ezrin, começaram a escrever e ensaiar o que viria a ser o seu primeiro álbum de destaque. Foi também o primeiro lançamento com a Warner Bros, após a gravadora adquirir de Frank Zappa o selo Straight, virando a página do fracasso da parceria anterior.

"Love It to Death" é recheado de boas canções e mostra uma banda encaixada e ciente da sua nova proposta. De cara, emplacaram o single "I'm Eighteen", com ótima proposta vocal de Alice. "Caught In A Dream", faixa de abertura, é um belo rock melódico setentista e com veia clássica. "Long Way To Go" tem levada punk e "Is It My Body" é um blues rock com riff pegajoso.
O lado psicodélico ainda ganhou espaço com a faixa mais estranha do álbum. "Black Juju" tem quase dez minutos e não consegue me agradar em nenhum momento... Na época do vinil era quase um crime lançar uma faixa como esta, obrigando as pessoas intervirem com seu aparelho de som para mudar de faixa. Sorte que a insanidade dura pouco e "Hallowed Be My Name" traz a energia de volta. "Second Coming" ainda flerta com o estilo, sem muito destaque mas não compromete tanto.
Seguido em direção ao final do álbum, "Ballad Of Dwight Fry" é a minha favorita. Uma junção de temas que mistura guitarras acústicas e elétricas para detalhar o colapso de um homem em um manicômio. Uma peça rock brilhante. Por fim, "Sun Arise" resgata o rock sessentista com uma melodia bastante divertida.

A primeira capa foi censurada pela Warner, pois trazia Alice Cooper simulando um pênis com o seu dedo. O acordo entre eles era que, se o single "I'm Eighteen" vendesse o suficiente, trabalhariam juntos em um álbum completo. No final, o disco e single não só venderam bem como emplacaram vários sucessos que figuraram nas apresentações ao vivo por um bom tempo.

"Love It To Death" é o primeiro álbum de sucesso de Alice Cooper e merece a sua conferência.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: