Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Crisis? What Crisis? (1975)

Álbum de Supertramp

Acessos: 114


Sem crise por aqui

Autor: André Luiz Paiz

31/10/2019

"Crisis? What Crisis?" é o quarto álbum de estúdio da banda britânica Supertramp, sendo o primeiro registrado nos Estados Unidos. A missão aqui era difícil, já que passou-se a exigir mais da banda após o clássico "Crime Of The Century"

O título surgiu a partir de uma frase do filme O Dia do Chacal, de Fred Zinnemann e lançado em 1973. Embora Rick Davies tenha também afirmado já ter pensado nele anteriormente, tendo também registrado a ideia em seu caderno de anotações.

O principal destaque deste trabalho é o entrosamento de Rick Davies e Roger Hodgson. Compuseram grandes temas e atuam com êxito seja cantando ou tocando. Quando fazem isso juntos então, é um deleite. Em segundo, destaca-se também a tentativa de seguir a linha do álbum antecessor, com canções extremamente acessíveis, porém bem executadas e trabalhadas. No final, o resultado é novamente positivo.

Um álbum com tracklist eclético é o que temos aqui. Das faixas mais pop e suaves, destaco a abertura "Easy Does It", "Poor Boy" e "Two of Us". Lindas melodias. "Sister Moonshine" é um clássico que combina diversos estilos dentro do rock, incluindo o folk. Uma das minhas favoritas da carreira da banda. O blues denso de Davies - "Ain't Nobody But Me" - é o que menos me impactou, mas, em contrapartida, sua energia retorna forte em "Another Man's Woman", com uma introdução que fez lembrar do Genesis setentista.
Roger Hodgson também se destaca com a R&B "Lady", mas deixa um pouco a desejar na balada "Just A Normal Day". Por fim "The Meaning" nos remete um pouco ao Pink Floyd de Waters e possui ótimo instrumental.

"Crisis? What Crisis?" é um ótimo trabalho e certamente contribui de maneira positiva para o legado da banda.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: