Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Easy Action (1970)

Álbum de Alice Cooper

Acessos: 89


Irrelevante

Autor: André Luiz Paiz

29/10/2019

"Easy Action", assim como "Pretties For You", não foi um sucesso nem um fracasso comercial. Simplesmente ninguém ligou para ele. O segundo lançamento da carreira de Alice Cooper ainda mostra uma banda perdida ao buscar por uma sonoridade própria. Em alguns momentos tropeçam ao tentar reproduzir o que fizeram os grandes grupos da década de sessenta. Já em outros, apostam em um acid rock psicodélico sem qualquer efetividade.

A bomba foi entregue nas mãos de David Briggs, produtor conhecido pelos trabalhos com Neil Young e que classificou a música do grupo como "psicodélico de merda", sendo que não gostou de nada do que lhe foi entregue. Assim, "Easy Action" demonstra claramente que se tratava mais de um simples compromisso de agenda do produtor, sem qualquer sinal de esforço para transformar aquilo em algo notável.

Sobre o tracklist, temos poucos momentos de brilho. Do lado positivo, primeiramente nota-se claramente que as músicas demonstram uma certa evolução do álbum debute. Depois, destacam-se o blues "Mr. And Misdemeanor" pelos vocais de Alice, a pop e bonitinha "Shoe Salesman" também agrada, assim como "Laughing At Me", que segue o mesmo caminho. "Refrigerator Heaven" também se sobressai e nos faz lembrar dos Beatles da fase "White Album". Já as demais, nada que seja interessante dar ênfase, com exceção da pavorosa viagem psicodélica de "Lay Down And Die Goodbye".

Veja só, sou fã de Alice Cooper e adoro a maioria de seus álbuns, mas o seu começo de carreira é bem difícil pros ouvidos. Felizmente, após este álbum as coisas começaram a mudar.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: