Para os que respiram música assim como nós


Resenha: Bring Out Your Dead (2016)

Álbum de Pesta

Acessos: 115


Primeiro disco mantém o ótimo nível do EP de estreia

Autor: Mário Pescada

05/05/2019

No final de 2015, ao ouvir Here She Comes…, o EP de estreia do Pesta (link abaixo) fiquei com uma ótima impressão da banda: eram apenas 4 faixas que deixavam um belo cartão de visitas e um gostinho de quero mais. Pois bem, o ano virou e os mineiros acabaram de lançar seu primeiro disco completo, Bring Out Your Dead (2016).

O disco segue como uma sequência do EP Here She Comes…, mantendo o mesmo peso stoner/doom, os vocais limpos e bem encaixados de Thiago Cruz, a temática pesada das letras e até a mesma produção, novamente sob comando de André Cabelo – afinal, em time que está ganhando não se mexe, certo?

Falando em produção, não tem como não citar a qualidade desta. Tanto os vocais quanto os instrumentos ficaram muito bem gravados, cada um no seu devido lugar, sem se sobressair sobre os demais e de uma maneira que não soasse artificial e fria. É sempre bom lembrar às bandas que estão começando: investir na qualidade do material nunca é demais!

O disco todo é muito equilibrado, ficando difícil apontar destaques, mas particularmente eu gostei muito de Words Of A Madman com seu andamento mais cadenciado, March Of Death com uma pegada mais rápida e um ótimo riff e o grand finale Possession, a mais doom do disco e seu tétrico riff de abertura.

Bring Out Your Dead foi lançado em formato digital, mas será lançado pela Deathtime Records em CD até o meio do ano e ainda por cima terá como bônus o EP Here She Comes…!

O disco pode ser conferido na íntegra no Bandcamp da banda.


Formação:
Anderson Vaca (baixo, backing vocals)
Thiago Cruz (vocais)
Daniel Rocha (guitarra)
Marcos Resende (guitarra)
Flávio Freitas (bateria)

Faixas:
01 – Black Death
02 – Words Of A Madman
03 – The Butler Did It (instrumental)
04 – Intimate
05 – March Of Death
06 – The End Is Near (instrumental)
07 – The 4th Horseman
08 – Possession

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: