Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

  • Últimas Notas de The 119 Show - Live In London

Resenha: Lacuna Coil - The 119 Show - Live In London (2018)

Por: João Paulo

Acessos: 209

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Proporcionando um lindo presente aos fãs!
5
13/11/2018

Está aqui um lançamento ao vivo realizado em 2018 que eu não vou parar de curtir tão cedo!  

20 anos de Lacuna Coil, o tempo passa, passou para a banda, e logicamente eles não poderiam deixar passar batido, e não deixaram mesmo. 

Em 19 de Janeiro de 2018, em Londres, no O2 Forum Kentish Town, a Lacuna Coil registrou um verdadeiro espetáculo, com um longo show, passando por toda a discografia da banda, executando 27 músicas, em comemoração aos 20 anos da banda, como, os 20 anos de seu primeiro debut, o "In A Reverie", lançado em 1999.
 
Foi aqui que eu agradeci mentalmente o fato deles terem registrado isso em CD/DVD, para o mundo todo, como a própria Scabbia declara durante o registro, eles estavam muito nervosos com aquele momento, porque queriam que tudo saísse perfeito.
Visualmente falando ainda não posso avaliar, o registro foi lançado na última sexta feira, dia 09 de Novembro, ainda não tive a oportunidade de assistir ao DVD, mas já tive a chance de degustar o álbum, e pra mim foi uma gigante surpresa, por que já fazia um tempo que não acompanhava as novidades sobre a Lacuna Coil. 

Mas, vamos ao álbum, o registro já se inicia com uma "Intro" chamativa, meio sinistra, que condiz bastante com a temática, um circo macabro, aliás, o visual da banda nesse registro também tem tudo a ver com essa ideia. Não poderia esquecer de comentar que a apresentação é acompanhada pelo grupo circense, Incandescence. 

Na sequência, a banda já começa nos jogando no passado, "A Current Obsession" do álbum Unleashed Memories, de 2001, dá o pontapé inicial no espetáculo, e já começa muito bem, Scabbia cantando melhor do que nunca, aqui dá pra notar um belo trabalho na parte de captação de áudio, está tudo bem claro, dá pra notar tudo, sem parecer aquela coisa de baixa qualidade. Seguindo, temos "1.19" também do Unleashed Memories, aqui Scabbia já chama os ingleses pra animação e interação com a banda, e com os vocais agressivos e muito bem executados de Andrea, o cara manja mesmo de guturais. "My Wings" do In A Reverie, de 99, pra mim é um dos primeiros pontos altos aqui, foi uma das primeiras músicas que escutei quando conheci a banda, e aqui ela é executada muito bem, momento nostálgico. “End Of Time” do álbum, Dark Adrenaline, de 2012, traz um momento calmo e tranquilo, gosto muito das guitarras dessa música. “Blood, Tears, Dust”, do mais recente trabalho, Delirium, de 2016, vem com os dois pés no peito, execução sensacional de toda a banda. “Swamped”, do álbum Comalies, de 2002, mais um momento nostálgico, uma das minhas favoritas. “The Army Inside”, mais uma do Dark Adrenaline, bem executada. “Veins Of Glass”, mais uma do clássico, In A Reverie, e seu refrão maravilhoso. Na sequência, temos um momento emocionante, Scabbia dedica a próxima música, “One Cold Day”, do álbum, Broken Crown Halo, a um amigo falecido a 5 anos. 

Voltando a paulada na orelha, “The House Of Shame”, a faixa introdutória de Delirium, vem com tudo, outra muito bem executada ao vivo. “When A Dead Man Walks”, mais uma do Unleashed Memories. “Tight Rope”, do Comalies, muito boa ao vivo também. Na sequência, outra grande surpresa para os meus ouvidos, “Soul Into Hades” do primeiro EP, lançado em 98, muito bem executada, sensacional demais ver essa música aqui. “Hyperfast”, do Comalies, destaques para Scabbia e Andrea. Continuando, “I Like It” a primeira executada do álbum Shallow Life, de 2009, confesso, aqui me fez falta os backings vocals de Andrea, não ficou ruim, mas ficou um pouco estranha, mas, a estranheza vai passar, tenho certeza. “Heaven’s A Lie”, do Comalies, chega, e introduzida com as sábias palavras de Andrea, que cobra do público que cante junto, por que “essa todo mundo conhece”, fato, é icônica, e é comprovado aqui, o público bate palmas com empolgação, outro ponto alto. “Senzafine”, do Unleashed Memories, também não ficou de fora, e nada mais justo, é maravilhosa, italiana, uma das minhas favoritas, aquele “madre” prolongado cantado pelo Andrea, é marcante. Chegamos em Karmacode, álbum de 2006, com “Closer”, muito bem executada, e com seu clima, sintetizadores, e riffs divertidos, gosto bastante. Scabbia anuncia a próxima dizendo que; “provavelmente, Comalies seja o álbum mais icônico da carreira da Lacuna Coil”, e anuncia a faixa título do álbum, “Comalies”, com certeza uma das minhas favoritas, e ao vivo é sensacional. Temos a famosa, “Our Truth” do Kamacode, e Scabbia já chamando a galera pra sair do chão, outra que a mulher solta o gogó sem piedade. 

Temos um “Intermezzo”, um interlúdio de quase 3 minutos, e já entrando em um set mais suave, a belíssima “Falling”, do In A Reverie, apenas com Scabbia e um piano, mais um momento nostálgico, lindo demais, e Scabbia, cantando demais. Continuando no esquema voz e piano, “Wide Awake”, de Shallow Life, que foi bem executada, mas me parece que faltou alguma coisa, talvez, uns backing vocals, mas, nada que tenha prejudicado a execução. Voltando para o agito novamente, temos “I Forgive (But I Won’t Forget Your Name)”, mais uma do Broken Crown Halo, bem executada ao vivo. 

Chegando quase ao seu fim, Scabbia pede mais uma vez que o público solte a voz na próxima música, e “sem desculpas”, é a vez de “Enjoy The Silence”, cover de Depeche Mode, que faz parte de Karmacode, outro ponto maravilhoso do registro, Scabbia faz o público participar mesmo, excelente ao vivo. Encerrando o espetáculo temos “Nothing Stands In Our Way” do Broken Crown Halo, fechando com chave de ouro esse showzaço. 

Um registro muito bem lapidado, e com tudo que um fã gosta de apreciar, músicas novas, antigas, os clássicos, as famosas, as pouco ou quase nada tocadas. 
A banda estava nervosa para que tudo ficasse perfeito, e eu acho que conseguiram alcançar plenamente o objetivo.
 
Obrigado, Lacuna Coil, pelo presentão! 

“The 119 Show – Live In London”
Century Media

1- Intro 	
2- A Current Obsession 	
3- 1.19 	
4- My Wings 	
5- End of Time 	
6- Blood, Tears, Dust 	
7- Swamped 	
8- The Army Inside 
9- Veins of Glass 	
10- One Cold Day 	
11- The House of Shame 	
12- When A Dead Man Walks 
13- Tight Rope 	
14- Soul into Hades 	
15- Hyperfast 	
16- I Like It 	
17- Heaven's a Lie 
18- Senzafine 	
19- Closer 
20- Comalies 	
21- Our Truth 	
22- Intermezzo 	
23- Falling 	
24- Wide Awake 	
25- I Forgive (But I Won't Forget Your Name) 	
26- Enjoy the Silence 
27- Nothing Stands in Our Way 

Proporcionando um lindo presente aos fãs!
5
13/11/2018

Está aqui um lançamento ao vivo realizado em 2018 que eu não vou parar de curtir tão cedo!  

20 anos de Lacuna Coil, o tempo passa, passou para a banda, e logicamente eles não poderiam deixar passar batido, e não deixaram mesmo. 

Em 19 de Janeiro de 2018, em Londres, no O2 Forum Kentish Town, a Lacuna Coil registrou um verdadeiro espetáculo, com um longo show, passando por toda a discografia da banda, executando 27 músicas, em comemoração aos 20 anos da banda, como, os 20 anos de seu primeiro debut, o "In A Reverie", lançado em 1999.
 
Foi aqui que eu agradeci mentalmente o fato deles terem registrado isso em CD/DVD, para o mundo todo, como a própria Scabbia declara durante o registro, eles estavam muito nervosos com aquele momento, porque queriam que tudo saísse perfeito.
Visualmente falando ainda não posso avaliar, o registro foi lançado na última sexta feira, dia 09 de Novembro, ainda não tive a oportunidade de assistir ao DVD, mas já tive a chance de degustar o álbum, e pra mim foi uma gigante surpresa, por que já fazia um tempo que não acompanhava as novidades sobre a Lacuna Coil. 

Mas, vamos ao álbum, o registro já se inicia com uma "Intro" chamativa, meio sinistra, que condiz bastante com a temática, um circo macabro, aliás, o visual da banda nesse registro também tem tudo a ver com essa ideia. Não poderia esquecer de comentar que a apresentação é acompanhada pelo grupo circense, Incandescence. 

Na sequência, a banda já começa nos jogando no passado, "A Current Obsession" do álbum Unleashed Memories, de 2001, dá o pontapé inicial no espetáculo, e já começa muito bem, Scabbia cantando melhor do que nunca, aqui dá pra notar um belo trabalho na parte de captação de áudio, está tudo bem claro, dá pra notar tudo, sem parecer aquela coisa de baixa qualidade. Seguindo, temos "1.19" também do Unleashed Memories, aqui Scabbia já chama os ingleses pra animação e interação com a banda, e com os vocais agressivos e muito bem executados de Andrea, o cara manja mesmo de guturais. "My Wings" do In A Reverie, de 99, pra mim é um dos primeiros pontos altos aqui, foi uma das primeiras músicas que escutei quando conheci a banda, e aqui ela é executada muito bem, momento nostálgico. “End Of Time” do álbum, Dark Adrenaline, de 2012, traz um momento calmo e tranquilo, gosto muito das guitarras dessa música. “Blood, Tears, Dust”, do mais recente trabalho, Delirium, de 2016, vem com os dois pés no peito, execução sensacional de toda a banda. “Swamped”, do álbum Comalies, de 2002, mais um momento nostálgico, uma das minhas favoritas. “The Army Inside”, mais uma do Dark Adrenaline, bem executada. “Veins Of Glass”, mais uma do clássico, In A Reverie, e seu refrão maravilhoso. Na sequência, temos um momento emocionante, Scabbia dedica a próxima música, “One Cold Day”, do álbum, Broken Crown Halo, a um amigo falecido a 5 anos. 

Voltando a paulada na orelha, “The House Of Shame”, a faixa introdutória de Delirium, vem com tudo, outra muito bem executada ao vivo. “When A Dead Man Walks”, mais uma do Unleashed Memories. “Tight Rope”, do Comalies, muito boa ao vivo também. Na sequência, outra grande surpresa para os meus ouvidos, “Soul Into Hades” do primeiro EP, lançado em 98, muito bem executada, sensacional demais ver essa música aqui. “Hyperfast”, do Comalies, destaques para Scabbia e Andrea. Continuando, “I Like It” a primeira executada do álbum Shallow Life, de 2009, confesso, aqui me fez falta os backings vocals de Andrea, não ficou ruim, mas ficou um pouco estranha, mas, a estranheza vai passar, tenho certeza. “Heaven’s A Lie”, do Comalies, chega, e introduzida com as sábias palavras de Andrea, que cobra do público que cante junto, por que “essa todo mundo conhece”, fato, é icônica, e é comprovado aqui, o público bate palmas com empolgação, outro ponto alto. “Senzafine”, do Unleashed Memories, também não ficou de fora, e nada mais justo, é maravilhosa, italiana, uma das minhas favoritas, aquele “madre” prolongado cantado pelo Andrea, é marcante. Chegamos em Karmacode, álbum de 2006, com “Closer”, muito bem executada, e com seu clima, sintetizadores, e riffs divertidos, gosto bastante. Scabbia anuncia a próxima dizendo que; “provavelmente, Comalies seja o álbum mais icônico da carreira da Lacuna Coil”, e anuncia a faixa título do álbum, “Comalies”, com certeza uma das minhas favoritas, e ao vivo é sensacional. Temos a famosa, “Our Truth” do Kamacode, e Scabbia já chamando a galera pra sair do chão, outra que a mulher solta o gogó sem piedade. 

Temos um “Intermezzo”, um interlúdio de quase 3 minutos, e já entrando em um set mais suave, a belíssima “Falling”, do In A Reverie, apenas com Scabbia e um piano, mais um momento nostálgico, lindo demais, e Scabbia, cantando demais. Continuando no esquema voz e piano, “Wide Awake”, de Shallow Life, que foi bem executada, mas me parece que faltou alguma coisa, talvez, uns backing vocals, mas, nada que tenha prejudicado a execução. Voltando para o agito novamente, temos “I Forgive (But I Won’t Forget Your Name)”, mais uma do Broken Crown Halo, bem executada ao vivo. 

Chegando quase ao seu fim, Scabbia pede mais uma vez que o público solte a voz na próxima música, e “sem desculpas”, é a vez de “Enjoy The Silence”, cover de Depeche Mode, que faz parte de Karmacode, outro ponto maravilhoso do registro, Scabbia faz o público participar mesmo, excelente ao vivo. Encerrando o espetáculo temos “Nothing Stands In Our Way” do Broken Crown Halo, fechando com chave de ouro esse showzaço. 

Um registro muito bem lapidado, e com tudo que um fã gosta de apreciar, músicas novas, antigas, os clássicos, as famosas, as pouco ou quase nada tocadas. 
A banda estava nervosa para que tudo ficasse perfeito, e eu acho que conseguiram alcançar plenamente o objetivo.
 
Obrigado, Lacuna Coil, pelo presentão! 

“The 119 Show – Live In London”
Century Media

1- Intro 	
2- A Current Obsession 	
3- 1.19 	
4- My Wings 	
5- End of Time 	
6- Blood, Tears, Dust 	
7- Swamped 	
8- The Army Inside 
9- Veins of Glass 	
10- One Cold Day 	
11- The House of Shame 	
12- When A Dead Man Walks 
13- Tight Rope 	
14- Soul into Hades 	
15- Hyperfast 	
16- I Like It 	
17- Heaven's a Lie 
18- Senzafine 	
19- Closer 
20- Comalies 	
21- Our Truth 	
22- Intermezzo 	
23- Falling 	
24- Wide Awake 	
25- I Forgive (But I Won't Forget Your Name) 	
26- Enjoy the Silence 
27- Nothing Stands in Our Way 

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Lacuna Coil

Album Cover

Lacuna Coil - Delirium (2016)

Provando que ainda pode ser novo, sem se perder
4
Por: Marcio Alexandre
25/01/2018

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Tori Amos - Unrepentant Geraldines (2014)

Que continue sem se arrepender
4.5
Por: Roberto Rillo Bíscaro
18/08/2018
Album Cover

The Smiths - The Queen Is Dead (1986)

Um dos álbuns mais inteligentes da história do rock
5
Por: Roberto Rillo Bíscaro
23/03/2019
Album Cover

Edison's Children - In The Last Waking Moments... (2011)

Uma jornada interessante junto ao simples e o complexo
4
Por: André Luiz Paiz
24/01/2019