Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Scorpions - Love At First Sting (1984)

Por: Fábio Arthur

Acessos: 127

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
Auge à primeira ferroada
5
16/10/2018

Após problemas com a voz de Klaus Meine, vindo com muito esforço desde os anos 70 tentando chegar ao ápice e, no final deles, obter uma aceitação forte de mídia e público, o Scorpions se consagrou finalmente. “Love At Firts Sting” trouxe a imponência de uma banda profissional e muito bem segura. O disco flerta abertamente com hard rock, glam e metal na medida certa sem se preocupar em soar comercial; mas aqui com muito maestria. 

O grupo chegou em 1984 com esse disco, uma tour imensa e videos na MTV, além de serem atração no Rock in Rio de 1985. A banda agora era ainda mais mainstream, ganhando notoriedade acima de média; sendo capa de revistas do mundo todo. 

Durante as gravações, Herman Rarebell ficou ausente se reabilitando em uma clínica, mas suas partes foram executadas conforme as partituras originais por Bob Rondinelli (ex-Black Sabbath), e assim o grupo seguiu em frente. Para a arte do álbum, dois modelos foram recrutados em uma sessão muito erótica e de bom gosto, em preto e branco e que mantém um duplo sentido com o nome do disco; belíssima foto realmente.

O Scorpions se superou com esse disco, conseguindo trazer novos fãs e não somente aqueles que já eram adoradores do rock/metal, tudo graças à balada “Still Loving You”, considerada uma das mais belas canções dos anos 80 e a mesma vinculou sem cessar nas rádios. Pela passagem do Brasil em 1985, o grupo acabou usando imagens no vídeo da canção feitos no Rio de Janeiro e assim por aqui também a canção se tornou clássica e amada. O álbum ainda traz “Big City Nights”, obra-prima, “Rock You Like a Hurricane”, brilhante em seu riff hard rasgado; “Bad Boys Running Wild”, “Coming Home”, que foi a primeira em ser composta para o disco, e “Crossfire”, um outro belo momento com melodias incisivas e vocais sobressaindo em dobras afortunadas. Todas destaques.

Esse é talvez um dos discos preferidos de muitos fãs da banda e marca um auge promissor e realmente fantástico. Vale conferir, em volume muito alto!

Auge à primeira ferroada
5
16/10/2018

Após problemas com a voz de Klaus Meine, vindo com muito esforço desde os anos 70 tentando chegar ao ápice e, no final deles, obter uma aceitação forte de mídia e público, o Scorpions se consagrou finalmente. “Love At Firts Sting” trouxe a imponência de uma banda profissional e muito bem segura. O disco flerta abertamente com hard rock, glam e metal na medida certa sem se preocupar em soar comercial; mas aqui com muito maestria. 

O grupo chegou em 1984 com esse disco, uma tour imensa e videos na MTV, além de serem atração no Rock in Rio de 1985. A banda agora era ainda mais mainstream, ganhando notoriedade acima de média; sendo capa de revistas do mundo todo. 

Durante as gravações, Herman Rarebell ficou ausente se reabilitando em uma clínica, mas suas partes foram executadas conforme as partituras originais por Bob Rondinelli (ex-Black Sabbath), e assim o grupo seguiu em frente. Para a arte do álbum, dois modelos foram recrutados em uma sessão muito erótica e de bom gosto, em preto e branco e que mantém um duplo sentido com o nome do disco; belíssima foto realmente.

O Scorpions se superou com esse disco, conseguindo trazer novos fãs e não somente aqueles que já eram adoradores do rock/metal, tudo graças à balada “Still Loving You”, considerada uma das mais belas canções dos anos 80 e a mesma vinculou sem cessar nas rádios. Pela passagem do Brasil em 1985, o grupo acabou usando imagens no vídeo da canção feitos no Rio de Janeiro e assim por aqui também a canção se tornou clássica e amada. O álbum ainda traz “Big City Nights”, obra-prima, “Rock You Like a Hurricane”, brilhante em seu riff hard rasgado; “Bad Boys Running Wild”, “Coming Home”, que foi a primeira em ser composta para o disco, e “Crossfire”, um outro belo momento com melodias incisivas e vocais sobressaindo em dobras afortunadas. Todas destaques.

Esse é talvez um dos discos preferidos de muitos fãs da banda e marca um auge promissor e realmente fantástico. Vale conferir, em volume muito alto!

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Scorpions

Album Cover

Scorpions - Fly To The Rainbow (1974)

Para quem gosta de ir além do hard rock
4.5
Por: André Luiz Paiz
11/01/2019
Album Cover

Scorpions - Taken By Force (1977)

Entre as melodias e o metal pesado
4.5
Por: Fábio Arthur
29/11/2018
Album Cover

Scorpions - Lonesome Crow (1972)

O início que poderia ter sido o fim
3.5
Por: André Luiz Paiz
17/12/2018

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Lizzy Borden - Visual Lies (1987)

A década de ouro do Glam-Metal
5
Por: Jeferson Barbosa
09/11/2018
Album Cover

Kiss - Animalize (1984)

O primeiro e único com Mark St. John
4
Por: André Luiz Paiz
10/09/2018
Album Cover

Neil Young - Neil Young & The Bluenotes: This Note's For You (1988)

O Velho Lobo canadense fora de seu habitat natural
4
Por: Márcio Chagas
15/07/2018