Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

  • Últimas Notas de The King's Last Speech
  • Últimos Álbuns Votados de Guilherme Costa
  • Album Cover
    The King's Last Speech

    4 Por: André Luiz Paiz

Resenha: Guilherme Costa - The King's Last Speech (2017)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 99

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
Belo cartão de visita mineiro
4
06/09/2018

Guilherme Costa é o guitarrista e multi-instrumentista por detrás deste EP de nome “The King’s Last Speech”. Influenciado por nomes como: Kiko Loureiro, Joe Satriani, Steve Vai e Yngwie Malmsteen, o trabalho deste mineiro de BH impressiona logo na primeira audição, mostrando que o Brasil consegue produzir músicos que se equiparam a qualquer outro ao redor do mundo.

Com apenas três faixas, o EP é totalmente instrumental e serve mais como um cartão de visita para a introdução de Guilherme no mercado musical como artista solo, já que, apesar de jovem, integrou diversas bandas durante a sua trajetória para se tornar músico profissional. Para começar com o pé direito, o álbum foi produzido por ninguém menos que: Gus Monsanto, produtor e vocalista solo, além de participante dos grupos Adagio e Revolution Renaissance. O som está ótimo, trazendo as guitarras à frente em substituição ao microfone. Trabalho de mixagem muito bem-feito por Celo Oliveira.

Sobre as faixas, o EP traz três músicas bem distintas, uma pitada de cada ambiente que será explorado por Guilherme assim que lançar o seu primeiro álbum completo. O Hard Rock está evidente em “Come On And Play”. Um petardo para ganhar o ouvinte logo de cara. Aqui, Guilherme mostra todo o seu talento como uma promessa destinada a se tornar realidade. Notas rápidas e precisas dentro de um tema que mostra influências do grande Joe Satriani.
A segunda faixa mostra o lado melódico de Guilherme. “The Beginning Of A Journey” é uma balada belíssima, que nos faz navegar através da melodia dos solos de guitarra e do ótimo timbre dos dedilhados. Uma grande trilha influenciada por Satriani e Vai.
Para encerrar, é claro que o heavy metal não poderia ficar de fora. As influências de  Yngwie Malmsteen transbordam pelos dedos de Guilherme em um petardo com pouco mais de dois minutos, veloz e direto, como deve ser.

“The King’s Last Speech” despertou em mim uma curiosidade enorme em tentar adivinhar como será o primeiro álbum completo de Guilherme Costa. Será possível manter o ouvinte durante toda a audição? Este é um dos maiores desafios nos álbuns lançados por guitarristas. Serão todas as faixas instrumentais? Seguirá ele o caminho de Yngwie e Eric Johnson, que alternam entre faixas instrumentais e outras não? A participação de Gus seria uma boa, não? Enfim, a conclusão que se tira ao ouvir este EP de estreia é que muitos frutos virão e a expectativa já está bem alta.

Belo cartão de visita mineiro
4
06/09/2018

Guilherme Costa é o guitarrista e multi-instrumentista por detrás deste EP de nome “The King’s Last Speech”. Influenciado por nomes como: Kiko Loureiro, Joe Satriani, Steve Vai e Yngwie Malmsteen, o trabalho deste mineiro de BH impressiona logo na primeira audição, mostrando que o Brasil consegue produzir músicos que se equiparam a qualquer outro ao redor do mundo.

Com apenas três faixas, o EP é totalmente instrumental e serve mais como um cartão de visita para a introdução de Guilherme no mercado musical como artista solo, já que, apesar de jovem, integrou diversas bandas durante a sua trajetória para se tornar músico profissional. Para começar com o pé direito, o álbum foi produzido por ninguém menos que: Gus Monsanto, produtor e vocalista solo, além de participante dos grupos Adagio e Revolution Renaissance. O som está ótimo, trazendo as guitarras à frente em substituição ao microfone. Trabalho de mixagem muito bem-feito por Celo Oliveira.

Sobre as faixas, o EP traz três músicas bem distintas, uma pitada de cada ambiente que será explorado por Guilherme assim que lançar o seu primeiro álbum completo. O Hard Rock está evidente em “Come On And Play”. Um petardo para ganhar o ouvinte logo de cara. Aqui, Guilherme mostra todo o seu talento como uma promessa destinada a se tornar realidade. Notas rápidas e precisas dentro de um tema que mostra influências do grande Joe Satriani.
A segunda faixa mostra o lado melódico de Guilherme. “The Beginning Of A Journey” é uma balada belíssima, que nos faz navegar através da melodia dos solos de guitarra e do ótimo timbre dos dedilhados. Uma grande trilha influenciada por Satriani e Vai.
Para encerrar, é claro que o heavy metal não poderia ficar de fora. As influências de  Yngwie Malmsteen transbordam pelos dedos de Guilherme em um petardo com pouco mais de dois minutos, veloz e direto, como deve ser.

“The King’s Last Speech” despertou em mim uma curiosidade enorme em tentar adivinhar como será o primeiro álbum completo de Guilherme Costa. Será possível manter o ouvinte durante toda a audição? Este é um dos maiores desafios nos álbuns lançados por guitarristas. Serão todas as faixas instrumentais? Seguirá ele o caminho de Yngwie e Eric Johnson, que alternam entre faixas instrumentais e outras não? A participação de Gus seria uma boa, não? Enfim, a conclusão que se tira ao ouvir este EP de estreia é que muitos frutos virão e a expectativa já está bem alta.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Steve Morse - High Tension Wires (1989)

O lado mais refinado e melancólico de Steve Morse.
3
Por: Tiago Meneses
11/01/2018
Album Cover

Mike Oldfield - Tubular Bells (1973)

Um excelente cartão de visita de Oldfield para o mundo.
5
Por: Tiago Meneses
01/10/2017
Album Cover

Joe Satriani - Joe Satriani (1995)

Um disco diferente na discografia do guitarrista
5
Por: Márcio Chagas
06/05/2018