Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

  • Últimas Notas de The Future In Reverse
  • Últimos Álbuns Votados de Starfish64
  • Album Cover
    The Future In Reverse (2018)

    4.5 Por: André Luiz Paiz

Resenha: Starfish64 - The Future In Reverse (2018)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 173

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
Progressivo e Art Pop em uma combinação extremamente agradável
4.5
09/08/2018

Starfish64 é um quarteto alemão liderado pelo vocalista e compositor Dieter Hoffmann. O projeto começou com a intenção de propagar o seu trabalho solo, mas se transformou em um conjunto e está chegando ao seu sexto lançamento de estúdio, chamado “The Future In Reverse”.

O álbum chama a atenção de imediato pela capa, que passa um certo mistério e também tranquilidade, algo que automaticamente desperta uma reflexão, mesmo sem ainda apertar o “play”. Ao iniciar a audição, somos transportados para uma viagem progressiva com pitadas de rock e pop, sempre com melodias tranquilas e agradáveis. O som nos faz lembrar dos ótimos trabalhos de Alan Parsons, mas sem a parte orquestral. Das influências mais progressivas, é notável a influência de Pink Floyd no som da banda, principalmente da fase pós-Waters.

Dieter é, além de ótimo compositor, um excelente produtor. Seu trabalho de mixagem e masterização está excelente. Além disso, possui um timbre de voz bem interessante, que nos faz lembrar de Geddy Lee na fase oitentista. Uma combinação bacana, não é? Unir as canções mais introspectivas do Pink Floyd de “The Division Bell” e “The Endless River” com um vocal estilo Rush. Claro que, em relação ao Rush, é somente isso que há em comum. Já as influências de Gilmour estão presentes por todos os cantos, nos solos e timbres de guitarra.

O álbum possui cinco faixas, sendo três delas mais acessíveis e diretas. As melodias de “Yesterdays Favourite Smile” e “Molehills” não saem da minha cabeça. “Tomorrow In Dark Water “ também é ótima, com uma introdução fantástica. Das faixas mais longas, “Charting An Abyss” é a minha favorita. Com quase vinte minutos, é uma viagem deliciosa dentro de uma temática introspectiva e de atmosfera fantástica. Já “Determination” é a faixa mais, digamos assim, difícil. Ainda sim, possui ótimos momentos.

O que posso dizer sobre o Starfish64 já está bem claro: existem muitas bandas de qualidade ao redor do mundo merecendo espaço e que simplesmente não conseguem, por falta de oportunidade ou simplesmente porque não conseguem aquele empurrãozinho. Vamos ajudar a mudar isso? 

Obtenha a sua cópia de “The Future In Reverse”, coloque os fones de ouvido, apague as luzes e embarque em uma viagem deliciosa.

Acesse a página do Starfish64 no Bandcamp clicando aqui.

Tracklist:

1. Yesterdays Favourite Smile   04:45	
2. Tomorrow In Dark Water   06:48	
3. Determination   12:35	
4. Molehills   04:01	
5. Charting An Abyss   18:16

Músicos:

Dieter Hoffmann 
Henrik Kropp 
Martin Pownall 
Dominik Suhl 

Progressivo e Art Pop em uma combinação extremamente agradável
4.5
09/08/2018

Starfish64 é um quarteto alemão liderado pelo vocalista e compositor Dieter Hoffmann. O projeto começou com a intenção de propagar o seu trabalho solo, mas se transformou em um conjunto e está chegando ao seu sexto lançamento de estúdio, chamado “The Future In Reverse”.

O álbum chama a atenção de imediato pela capa, que passa um certo mistério e também tranquilidade, algo que automaticamente desperta uma reflexão, mesmo sem ainda apertar o “play”. Ao iniciar a audição, somos transportados para uma viagem progressiva com pitadas de rock e pop, sempre com melodias tranquilas e agradáveis. O som nos faz lembrar dos ótimos trabalhos de Alan Parsons, mas sem a parte orquestral. Das influências mais progressivas, é notável a influência de Pink Floyd no som da banda, principalmente da fase pós-Waters.

Dieter é, além de ótimo compositor, um excelente produtor. Seu trabalho de mixagem e masterização está excelente. Além disso, possui um timbre de voz bem interessante, que nos faz lembrar de Geddy Lee na fase oitentista. Uma combinação bacana, não é? Unir as canções mais introspectivas do Pink Floyd de “The Division Bell” e “The Endless River” com um vocal estilo Rush. Claro que, em relação ao Rush, é somente isso que há em comum. Já as influências de Gilmour estão presentes por todos os cantos, nos solos e timbres de guitarra.

O álbum possui cinco faixas, sendo três delas mais acessíveis e diretas. As melodias de “Yesterdays Favourite Smile” e “Molehills” não saem da minha cabeça. “Tomorrow In Dark Water “ também é ótima, com uma introdução fantástica. Das faixas mais longas, “Charting An Abyss” é a minha favorita. Com quase vinte minutos, é uma viagem deliciosa dentro de uma temática introspectiva e de atmosfera fantástica. Já “Determination” é a faixa mais, digamos assim, difícil. Ainda sim, possui ótimos momentos.

O que posso dizer sobre o Starfish64 já está bem claro: existem muitas bandas de qualidade ao redor do mundo merecendo espaço e que simplesmente não conseguem, por falta de oportunidade ou simplesmente porque não conseguem aquele empurrãozinho. Vamos ajudar a mudar isso? 

Obtenha a sua cópia de “The Future In Reverse”, coloque os fones de ouvido, apague as luzes e embarque em uma viagem deliciosa.

Acesse a página do Starfish64 no Bandcamp clicando aqui.

Tracklist:

1. Yesterdays Favourite Smile   04:45	
2. Tomorrow In Dark Water   06:48	
3. Determination   12:35	
4. Molehills   04:01	
5. Charting An Abyss   18:16

Músicos:

Dieter Hoffmann 
Henrik Kropp 
Martin Pownall 
Dominik Suhl 

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor