Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Iron Maiden - Virtual XI (1998)

Por: Marcel Z. Dio

Acessos: 201

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
Um disco morno para ouvir enquanto se lava-louça.
2
30/06/2018

O décimo primeiro disco do Iron Maiden quase jogou uma pá de cal nos destinos da lenda inglesa.
Um registro ruim com Bruce Dickinson dá pra aturar, já com o robótico vocalista Blaze Bayley é complicado, tudo bem que a história do cara é uma superação e que ele realizou o sonho que nós pobres mortais jamais iriamos conseguir, só não da pra negar que Virtual XI é o pior disco da donzela.

E não foi só culpa do cantor, a banda estava em plena decadência criativa, o anterior e sinistro X Factor ainda tem sons fantásticos, mas com Virtual XI algo se perdeu.

Futureal empolga por abrir o disco, até porque toda faixa de abertura deve ser assim, ainda mais no heavy metal.

O constrangedor tecladinho inicial com timbre de sanfona em The Angel And The Gambler faz o ouvinte bater cabeça, mas dessa vez bater a cabeça na parede de raiva !! Ok, o refrão é bom.

Lightning Strikes e The Clansman deixam claro a formula de autoplágio aplicada pela banda, na verdade todas seguem o mesmo destino.
A voz de Blaze não tem o brilho necessário, soando monocórdica e apagada na maior parte do tempo, não deu liga ao som do Maiden.

Don't Look To The Eyes Of A Stranger sai um pouco dessa fórmula desgastada justamente pelo andamento diferente na parte narrativa que abrange a grande porção da música, depois vem aquela conhecida guitarra fuleira e manjada.

Não precisa ser um expert em rock ou música geral pra perceber que Blaze Bayley não caberia numa banda desse porte e nível, é compreensível que Steve Harris procurava um vocalista com timbragem diferente e menos melódica.
Enfim, todos erram, ou como diria o saudoso Mussum, até Steve Erris.

Um disco morno para ouvir enquanto se lava-louça.
2
30/06/2018

O décimo primeiro disco do Iron Maiden quase jogou uma pá de cal nos destinos da lenda inglesa.
Um registro ruim com Bruce Dickinson dá pra aturar, já com o robótico vocalista Blaze Bayley é complicado, tudo bem que a história do cara é uma superação e que ele realizou o sonho que nós pobres mortais jamais iriamos conseguir, só não da pra negar que Virtual XI é o pior disco da donzela.

E não foi só culpa do cantor, a banda estava em plena decadência criativa, o anterior e sinistro X Factor ainda tem sons fantásticos, mas com Virtual XI algo se perdeu.

Futureal empolga por abrir o disco, até porque toda faixa de abertura deve ser assim, ainda mais no heavy metal.

O constrangedor tecladinho inicial com timbre de sanfona em The Angel And The Gambler faz o ouvinte bater cabeça, mas dessa vez bater a cabeça na parede de raiva !! Ok, o refrão é bom.

Lightning Strikes e The Clansman deixam claro a formula de autoplágio aplicada pela banda, na verdade todas seguem o mesmo destino.
A voz de Blaze não tem o brilho necessário, soando monocórdica e apagada na maior parte do tempo, não deu liga ao som do Maiden.

Don't Look To The Eyes Of A Stranger sai um pouco dessa fórmula desgastada justamente pelo andamento diferente na parte narrativa que abrange a grande porção da música, depois vem aquela conhecida guitarra fuleira e manjada.

Não precisa ser um expert em rock ou música geral pra perceber que Blaze Bayley não caberia numa banda desse porte e nível, é compreensível que Steve Harris procurava um vocalista com timbragem diferente e menos melódica.
Enfim, todos erram, ou como diria o saudoso Mussum, até Steve Erris.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Iron Maiden

Album Cover

Iron Maiden - Can I Play With Madness (1988)

Mantendo-se no topo
5
Por: Fábio Arthur
08/01/2019
Album Cover

Iron Maiden - Live After Death (1985)

Realmente um disco ao vivo!
5
Por: Márcio Chagas
31/03/2018
Album Cover

Iron Maiden - Dance Of Death (2003)

Mudando a direção
3
Por: Fábio Arthur
17/12/2018

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Iced Earth - Incorruptible (2017)

Um bom trabalho, mas está na hora de mudar
4
Por: André Luiz Paiz
29/07/2018
Album Cover

King Diamond - Abigail (1987)

Um clássico do mestre do horror
5
Por: André Luiz Paiz
15/12/2017
Album Cover

Black Sabbath - Headless Cross (1989)

O melhor da fase com Tony Martin
3.5
Por: Márcio Chagas
03/11/2018