Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: David Gilmour - Rattle That Lock (2015)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 159

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Para os fãs do Pink Floyd da fase pós-Waters
4
14/09/2017

O grande David Gilmour nos presenteia com um excelente trabalho. "Rattle That Lock" é um álbum que trará momentos de nostalgia ao ouvinte, com diversas passagens que remetem ao Pink Floyd da fase pós-Waters, principalmente ao estupendo "The Division Bell".

Após a introdução floydiana "5 A.M.", a faixa título chega como candidata a hit do álbum. Uma grande composição, com ótimo refrão e solos de guitarra.
"Faces Of Stone" chega com um tom mais sombrio e um pequeno toque de "High Hopes" (The Division Bell).
"A Boat Lies Waiting" remete ao álbum anterior de Gilmour: "On A Island". Uma faixa com grandes vocalizações, apesar de um pouco cansativa.
Fugindo um pouco da atmosfera do Pink Floyd, a jazzística "Dancing Right In Front of Me" traz grandes momentos. Uma bela faixa.
"In Any Tongue" é espetacular. Densa, melódica, com vocais graves de Gilmour. Mais uma faixa que remete ao "The Division Bell".
A instrumental "Beauty" é interessante, porém sem muitas inovações diante do que já foi proposto por David.
"The Girl In The Yellow Dress" nos transporta para as décadas de 50 e 60, também jazzística. Esta é uma faixa que afugenta qualquer fã do Floyd.
Em direção ao final do álbum, "Today" é uma grande faixa e merece destaque. Caberia perfeitamente no "A Momentary Lapse Of Reason" do Pink Floyd. Uma faixa mais voltada para o pop e com grandes melodias.
O álbum encerra com "And Then...". Outra bela faixa instrumental. Mas, na minha opinião, se o álbum finalizasse em "Today", estaria de bom tamanho.

David Gilmour acertou em cheio com "Rattle That Lock". Um álbum mais coerente e bem estruturado do que "On An Island", seu antecessor.
"Rattle That Lock" foi tão bem que rendeu inclusive uma passagem de Gilmour pelo Brasil. Eu estava lá, em São Paulo, na arquibancada do Allianz Park, completamente atônito. Um dos melhores shows que já presenciei.

Para os fãs do Pink Floyd da fase pós-Waters
4
14/09/2017

O grande David Gilmour nos presenteia com um excelente trabalho. "Rattle That Lock" é um álbum que trará momentos de nostalgia ao ouvinte, com diversas passagens que remetem ao Pink Floyd da fase pós-Waters, principalmente ao estupendo "The Division Bell".

Após a introdução floydiana "5 A.M.", a faixa título chega como candidata a hit do álbum. Uma grande composição, com ótimo refrão e solos de guitarra.
"Faces Of Stone" chega com um tom mais sombrio e um pequeno toque de "High Hopes" (The Division Bell).
"A Boat Lies Waiting" remete ao álbum anterior de Gilmour: "On A Island". Uma faixa com grandes vocalizações, apesar de um pouco cansativa.
Fugindo um pouco da atmosfera do Pink Floyd, a jazzística "Dancing Right In Front of Me" traz grandes momentos. Uma bela faixa.
"In Any Tongue" é espetacular. Densa, melódica, com vocais graves de Gilmour. Mais uma faixa que remete ao "The Division Bell".
A instrumental "Beauty" é interessante, porém sem muitas inovações diante do que já foi proposto por David.
"The Girl In The Yellow Dress" nos transporta para as décadas de 50 e 60, também jazzística. Esta é uma faixa que afugenta qualquer fã do Floyd.
Em direção ao final do álbum, "Today" é uma grande faixa e merece destaque. Caberia perfeitamente no "A Momentary Lapse Of Reason" do Pink Floyd. Uma faixa mais voltada para o pop e com grandes melodias.
O álbum encerra com "And Then...". Outra bela faixa instrumental. Mas, na minha opinião, se o álbum finalizasse em "Today", estaria de bom tamanho.

David Gilmour acertou em cheio com "Rattle That Lock". Um álbum mais coerente e bem estruturado do que "On An Island", seu antecessor.
"Rattle That Lock" foi tão bem que rendeu inclusive uma passagem de Gilmour pelo Brasil. Eu estava lá, em São Paulo, na arquibancada do Allianz Park, completamente atônito. Um dos melhores shows que já presenciei.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de David Gilmour

Album Cover

David Gilmour - David Gilmour (1978)

No fim das contas é um bom álbum e vale a pena.
3
Por: Tiago Meneses
15/03/2019

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Paul Rodgers - Electric (1999)

Grande trabalho de um grande talento.
4
Por: André Luiz Paiz
22/07/2017
Album Cover

Blind Faith - Blind Faith (1969)

Fé Cega, Faca Amolada: os devaneios musicais de Clapton e Winwood!
5
Por: Márcio Chagas
14/02/2019
Album Cover

Supertramp - Even In The Quietest Moments... (1977)

Indiscutivelmente um disco bastante valioso dentro da discografia do Supertramp.
4
Por: Tiago Meneses
25/01/2018