Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Tears for Fears - Everybody Loves A Happy Ending (2004)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 74

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
De volta com os membros originais, o final foi feliz
4.5
12/09/2017

Todos amamos um final feliz, não é verdade? "Feliz" é também a conclusão que tiramos ao degustar o disco de retorno do "Tears For Fears" com sua formação original, ou seja, com a reunião de Roland Orzabal e Curt Smith, separados desde 1989 e juntos até hoje.

Primeiramente, "Everybody Loves A Happy Ending" é totalmente diferente do que já foi demonstrado pelo "Tears For Fears" no passado. Claro que ainda há o pop e um pouco de rock progressivo, mas a banda se afastou um pouco do New Wave, focando em canções mais direcionadas para o rock. Aí meu amigo, o lado Beatles da banda veio à tona e o resultado é ótimo. A faixa-título, juntamente com "Call Me Mellow" e "Who Killed Tangerine?", comprovam isso descaradamente e as três faixas são destaques absolutos.
Curt Smith vai muito bem em "Size of Sorrow" e "Who You Are". Já Orzabal se destaca em "Closest Thing to Heaven" e na belíssima "Lady Bird".
E para finalizar, é claro que eu não poderia deixar de lado: "Secret World", a melhor do álbum.

"Everybody Loves A Happy Ending" é um grande trabalho de retorno do "Tears For Fears". Apesar de ter destacado algumas canções, uma audição completa com certeza é mais recomendada e prazerosa.

Aproveitando, dizem por aí que logo teremos um novo álbum da dupla. Aguardo ansiosamente.

De volta com os membros originais, o final foi feliz
4.5
12/09/2017

Todos amamos um final feliz, não é verdade? "Feliz" é também a conclusão que tiramos ao degustar o disco de retorno do "Tears For Fears" com sua formação original, ou seja, com a reunião de Roland Orzabal e Curt Smith, separados desde 1989 e juntos até hoje.

Primeiramente, "Everybody Loves A Happy Ending" é totalmente diferente do que já foi demonstrado pelo "Tears For Fears" no passado. Claro que ainda há o pop e um pouco de rock progressivo, mas a banda se afastou um pouco do New Wave, focando em canções mais direcionadas para o rock. Aí meu amigo, o lado Beatles da banda veio à tona e o resultado é ótimo. A faixa-título, juntamente com "Call Me Mellow" e "Who Killed Tangerine?", comprovam isso descaradamente e as três faixas são destaques absolutos.
Curt Smith vai muito bem em "Size of Sorrow" e "Who You Are". Já Orzabal se destaca em "Closest Thing to Heaven" e na belíssima "Lady Bird".
E para finalizar, é claro que eu não poderia deixar de lado: "Secret World", a melhor do álbum.

"Everybody Loves A Happy Ending" é um grande trabalho de retorno do "Tears For Fears". Apesar de ter destacado algumas canções, uma audição completa com certeza é mais recomendada e prazerosa.

Aproveitando, dizem por aí que logo teremos um novo álbum da dupla. Aguardo ansiosamente.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

The Cure - Faith (1981)

Fé e desespero, lado a lado
5
Por: Tarcisio Lucas
11/06/2018
Album Cover

A-HA - Stay On These Roads (1988)

Um belo álbum de uma das referências do Synthpop
3.5
Por: André Luiz Paiz
09/09/2017
Album Cover

The Cure - Seventeen Seconds (1980)

Bem mais que 17 Segundos!
4
Por: Tarcisio Lucas
06/12/2018