Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Judas Priest - '98 Live Meltdown (1998)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 114

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +
User Photo
Album Cover
O álbum ao vivo de heavy metal que me desmontou
5
04/09/2017

Aqui estou, neste exato momento escutando "The Sentinel", e preparando minha resenha. Lembro-me quando, em 2001, escutei este álbum. Acreditem se quiser, mas só fui saber quem e o que era Judas Priest quando ouvi o '98 Live Meltdown. Naquele momento, o Judas estava buscando se reencontrar após o choque da saída de Rob Halford do grupo. Tinha acabado de lançar, em 1997, o controverso Jugulator. Controverso sim, porém havia nele algo impossível de discordar: Tim "Ripper" Owens, substituto de Halford, era (e ainda é) um fenômeno. Assim, este álbum ao vivo me desmontou. Deixe-me explicar...
'98 Live Meltdown produz uma sensação inexplicável, que enlouquece, arrepia e satisfaz. Já sabemos que a carreira do Judas é recheada de clássicos (ouvi vários e vários discos após este), porém este trabalho trouxe algo a mais: a personalidade de Ripper. Seu desempenho é tão bom quanto ao de Rob Halford, porém seu timbre é bem diferente e combinou perfeitamente com as músicas do Judas. As faixas são executadas em tons mais graves para adequação ao registro de Tim, o que tornou o trabalho extremamente mais pesado e eletrizante. Na época em que ouvi o álbum pela primeira vez, estava viciado, a ponto de levar o CD até na minha república de carnaval. O pessoal enlouquecia.

Faixas de destaque: Todos os clássicos do Judas Priest são destaques.

Se você tem heavy metal nas veias, eu o desafio a ouvir este álbum e não sentir absolutamente nada.

O álbum ao vivo de heavy metal que me desmontou
5
04/09/2017

Aqui estou, neste exato momento escutando "The Sentinel", e preparando minha resenha. Lembro-me quando, em 2001, escutei este álbum. Acreditem se quiser, mas só fui saber quem e o que era Judas Priest quando ouvi o '98 Live Meltdown. Naquele momento, o Judas estava buscando se reencontrar após o choque da saída de Rob Halford do grupo. Tinha acabado de lançar, em 1997, o controverso Jugulator. Controverso sim, porém havia nele algo impossível de discordar: Tim "Ripper" Owens, substituto de Halford, era (e ainda é) um fenômeno. Assim, este álbum ao vivo me desmontou. Deixe-me explicar...
'98 Live Meltdown produz uma sensação inexplicável, que enlouquece, arrepia e satisfaz. Já sabemos que a carreira do Judas é recheada de clássicos (ouvi vários e vários discos após este), porém este trabalho trouxe algo a mais: a personalidade de Ripper. Seu desempenho é tão bom quanto ao de Rob Halford, porém seu timbre é bem diferente e combinou perfeitamente com as músicas do Judas. As faixas são executadas em tons mais graves para adequação ao registro de Tim, o que tornou o trabalho extremamente mais pesado e eletrizante. Na época em que ouvi o álbum pela primeira vez, estava viciado, a ponto de levar o CD até na minha república de carnaval. O pessoal enlouquecia.

Faixas de destaque: Todos os clássicos do Judas Priest são destaques.

Se você tem heavy metal nas veias, eu o desafio a ouvir este álbum e não sentir absolutamente nada.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Judas Priest

Album Cover

Judas Priest - Point Of Entry (1981)

Mais hard e menos heavy
4
Por: André Luiz Paiz
31/08/2017
Album Cover

Judas Priest - Firepower (2018)

Senhoras e senhores: Judas Priest!
4.5
Por: André Luiz Paiz
12/06/2018
Album Cover

Judas Priest - Painkiller (1990)

Fazendo metal de verdade
5
Por: Fábio Arthur
16/01/2019

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Lacuna Coil - Delirium (2016)

Provando que ainda pode ser novo, sem se perder
4
Por: Marcio Machado
25/01/2018
Album Cover

Iron Maiden - Virtual XI (1998)

Um disco morno para ouvir enquanto se lava-louça.
2
Por: Marcel Z. Dio
30/06/2018
Album Cover

Black Sabbath - Born Again (1983)

A reencarnação sabbathica
4.5
Por: Marcel Z. Dio
07/08/2018