Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Toto - Toto (1978)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 187

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Meninos-prodígios estreando como gente grande
4.5
26/01/2018

Toto é uma banda americana formada em 1976, em Los Angeles. Famosos pela qualidade individual de seus músicos e também pela facilidade em compôr sucessos em diversos gêneros/estilos, ganharam atenção imediata com o seu debut homônimo, lançado em 1978.

O grupo foi idealizado inicialmente quando o saudoso baterista Jeff Porcaro, músico de estúdio desde a sua formação, vivia encontrando com o tecladista David Paich em sessões que participavam. Embora jovens, porém com uma certa bagagem, chegaram a um consenso de que deveriam criar a sua própria banda. Rapidamente lembraram de David Hungate, fantástico baixista e também músico de estúdio. Em seguida, recrutaram Steve Lukather para as guitarras e Steve Porcaro, irmão de Jeff e também tecladista, deixando a cozinha completa. Por fim e por último, o grande vocalista Bobbyby Kimball aterrissou para completar o time. Logo em seguida, ainda em 1976, começaram a trabalhar na produção do seu primeiro álbum.

O trabalho inicial do Toto não agradou a todos, principalmente a crítica, que apontava certa falta de direcionamento do grupo, julgando que a diversidade entre as faixas seria como que "atirar para todos os lados". Não concordavam também com a ideia da divisão dos vocais entre quatro vocalistas, o que causava uma certa falta de identidade. Já os fãs, assim como eu, corresponderam e garantiram destaque de várias faixas nas paradas de sucesso. "Toto", o álbum, é excelente! Um trabalho fenomenal para um grupo de jovens em seus vinte e poucos anos (com exceção de Kimball e Hungate, com 30). Steve Lukather, por exemplo, estava com vinte anos quando o álbum foi lançado. David Paich, principal compositor deste trabalho, com vinte e quatro. Todos mostrando maturidade e talento muito, mas muito acima da média.

Após a ótima instrumental com sonoridade hollywoodiana "Child's Anthem", Bobbyby Kimball justifica através do hit "I'll Supply the Love", a sua presença no grupo. Um timbre fantástico, com alcance fenomenal e grande potência. Um pop que é destaque absoluto e que merece ser ouvido por várias vezes até o final, pois seu encerramento é grandioso.
"Georgy Porgy" é mais uma faixa que recebeu grande destaque. Uma bela combinação de jazz rock, soft rock e disco, cadenciada e cantada brilhantemente por Steve Lukather.
David Paich assume os vocais na espetacular "Manuela Run". Conduzida ao som das teclas de seu piano, a faixa é um pop fantástico, que flerta diretamente com o hard rock.
"You Are the Flower" foi composta e cantada por Bobby Kimball. Curiosamente, é uma faixa que não se destaca inicialmente, porém cresce nas próximas audições. Bobby vai bem nos vocais e o refrão até que é interessante. É uma faixa mais cadenciada, com aquele groove dos anos 70. Confira também o solo de guitarra de Steve Lukather, um dos melhores que já criou.
Como um mix de rock sinfônico no início e um refrão Disco, "Girl Goodbye" mostra mais uma vez a versatilidade de Bobby Kimball. Além disso, o instrumental é fantástico em todos os sentidos. Aqui ouve-se de tudo. Grandes linhas de guitarra, ótimos teclados e Jeff Porcaro com David Hungate abusando da técnica.
Pra quem acompanha a carreira de Steve Porcaro, é fácil identificar que "Takin' It Back" é composição sua. Aqui, o compositor de "Human Nature" (Michael Jackson), assume também os vocais e canta de maneira suave, em uma balada pop requintada.
Paich retorna nos vocais com a pop rock "Rockmaker". A música é bem legal e aqui as vocalizações e o refrão são os destaques.
Abram alas para o maior hit do álbum e um dos maiores da carreira do Toto. "Hold the Line" é simplesmente perfeita, causando aquele impacto imediato em qualquer ouvinte de primeira viagem. É pop, é rock, e Bobby Kimball canta e encanta novamente.
A voz melódica de Lukather se encaixa perfeitamente nas faixas mais lentas do Toto. São diversas outras da carreira do grupo que comprovam isso, como: "I'll Be Over You", "The Road Goes On" e "Anna". "Angela" encerra os trabalhos com classe, suavemente em uma linda balada pop.

Para os curiosos sobre a origem do nome do grupo, dizem que Jeff Porcaro escreveu "Toto" em uma das fitas-demo registradas pelo grupo, na intenção de diferenciá-las das demais e nome acabou ficando. A história de que a origem seria um trocadilho com o sobrenome de Bobby Kimball, Toteaux, parece um boato inventado pelo baixista David Hungate. David inclusive verificou posteriormente que o nome “Toto” tem um significado especial em latim: “Universal”. Assim, acabou ficando.

Toto foi muito bem em seu primeiro lançamento, sendo este um de seus melhores álbuns. Seu próximo trabalho, "Hydra", foi lançado logo no ano seguinte, em 1979, mostrando a banda mais focada em buscar um direcionamento e trazendo também novos elementos. Logo falaremos mais sobre ele.

Meninos-prodígios estreando como gente grande
4.5
26/01/2018

Toto é uma banda americana formada em 1976, em Los Angeles. Famosos pela qualidade individual de seus músicos e também pela facilidade em compôr sucessos em diversos gêneros/estilos, ganharam atenção imediata com o seu debut homônimo, lançado em 1978.

O grupo foi idealizado inicialmente quando o saudoso baterista Jeff Porcaro, músico de estúdio desde a sua formação, vivia encontrando com o tecladista David Paich em sessões que participavam. Embora jovens, porém com uma certa bagagem, chegaram a um consenso de que deveriam criar a sua própria banda. Rapidamente lembraram de David Hungate, fantástico baixista e também músico de estúdio. Em seguida, recrutaram Steve Lukather para as guitarras e Steve Porcaro, irmão de Jeff e também tecladista, deixando a cozinha completa. Por fim e por último, o grande vocalista Bobbyby Kimball aterrissou para completar o time. Logo em seguida, ainda em 1976, começaram a trabalhar na produção do seu primeiro álbum.

O trabalho inicial do Toto não agradou a todos, principalmente a crítica, que apontava certa falta de direcionamento do grupo, julgando que a diversidade entre as faixas seria como que "atirar para todos os lados". Não concordavam também com a ideia da divisão dos vocais entre quatro vocalistas, o que causava uma certa falta de identidade. Já os fãs, assim como eu, corresponderam e garantiram destaque de várias faixas nas paradas de sucesso. "Toto", o álbum, é excelente! Um trabalho fenomenal para um grupo de jovens em seus vinte e poucos anos (com exceção de Kimball e Hungate, com 30). Steve Lukather, por exemplo, estava com vinte anos quando o álbum foi lançado. David Paich, principal compositor deste trabalho, com vinte e quatro. Todos mostrando maturidade e talento muito, mas muito acima da média.

Após a ótima instrumental com sonoridade hollywoodiana "Child's Anthem", Bobbyby Kimball justifica através do hit "I'll Supply the Love", a sua presença no grupo. Um timbre fantástico, com alcance fenomenal e grande potência. Um pop que é destaque absoluto e que merece ser ouvido por várias vezes até o final, pois seu encerramento é grandioso.
"Georgy Porgy" é mais uma faixa que recebeu grande destaque. Uma bela combinação de jazz rock, soft rock e disco, cadenciada e cantada brilhantemente por Steve Lukather.
David Paich assume os vocais na espetacular "Manuela Run". Conduzida ao som das teclas de seu piano, a faixa é um pop fantástico, que flerta diretamente com o hard rock.
"You Are the Flower" foi composta e cantada por Bobby Kimball. Curiosamente, é uma faixa que não se destaca inicialmente, porém cresce nas próximas audições. Bobby vai bem nos vocais e o refrão até que é interessante. É uma faixa mais cadenciada, com aquele groove dos anos 70. Confira também o solo de guitarra de Steve Lukather, um dos melhores que já criou.
Como um mix de rock sinfônico no início e um refrão Disco, "Girl Goodbye" mostra mais uma vez a versatilidade de Bobby Kimball. Além disso, o instrumental é fantástico em todos os sentidos. Aqui ouve-se de tudo. Grandes linhas de guitarra, ótimos teclados e Jeff Porcaro com David Hungate abusando da técnica.
Pra quem acompanha a carreira de Steve Porcaro, é fácil identificar que "Takin' It Back" é composição sua. Aqui, o compositor de "Human Nature" (Michael Jackson), assume também os vocais e canta de maneira suave, em uma balada pop requintada.
Paich retorna nos vocais com a pop rock "Rockmaker". A música é bem legal e aqui as vocalizações e o refrão são os destaques.
Abram alas para o maior hit do álbum e um dos maiores da carreira do Toto. "Hold the Line" é simplesmente perfeita, causando aquele impacto imediato em qualquer ouvinte de primeira viagem. É pop, é rock, e Bobby Kimball canta e encanta novamente.
A voz melódica de Lukather se encaixa perfeitamente nas faixas mais lentas do Toto. São diversas outras da carreira do grupo que comprovam isso, como: "I'll Be Over You", "The Road Goes On" e "Anna". "Angela" encerra os trabalhos com classe, suavemente em uma linda balada pop.

Para os curiosos sobre a origem do nome do grupo, dizem que Jeff Porcaro escreveu "Toto" em uma das fitas-demo registradas pelo grupo, na intenção de diferenciá-las das demais e nome acabou ficando. A história de que a origem seria um trocadilho com o sobrenome de Bobby Kimball, Toteaux, parece um boato inventado pelo baixista David Hungate. David inclusive verificou posteriormente que o nome “Toto” tem um significado especial em latim: “Universal”. Assim, acabou ficando.

Toto foi muito bem em seu primeiro lançamento, sendo este um de seus melhores álbuns. Seu próximo trabalho, "Hydra", foi lançado logo no ano seguinte, em 1979, mostrando a banda mais focada em buscar um direcionamento e trazendo também novos elementos. Logo falaremos mais sobre ele.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Toto

Album Cover

Toto - The Seventh One (1988)

Um clássico de uma banda espetacular
5
Por: André Luiz Paiz
30/09/2017
Album Cover

Toto - Hydra (1979)

Um passo adiante
4
Por: André Luiz Paiz
25/08/2018

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

The Fringe - The Fringe (2016)

Um novo power trio influenciado por grandes bandas
4
Por: André Luiz Paiz
14/12/2017
Album Cover

Anderson/Stolt - Invention Of Knowledge (2016)

Retorno aos gloriosos dias do apogeu do Yes
4
Por: Roberto Rillo Bíscaro
24/07/2018
Album Cover

Camel - Mirage (1974)

Amor à primeira ouvida
5
Por: Marcel Z. Dio
06/01/2019