Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Kiss - Kiss (1974)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 125

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Um dos grandes álbuns de estreia do mundo rock
4
15/01/2018

Em 1974, um grupo de garotos de Nova Iorque, mascarados e com seus vinte e poucos anos, lançava o seu trabalho homônimo de estreia. Seria o primeiro degrau de uma banda que atingiu o topo e arrasta multidões de fãs fanáticos e fervorosos, amantes de boa música.

Apesar de possuir excelentes faixas que atravessam várias vertentes do rock, “Kiss”, o álbum, não foi tão bem nas paradas inicialmente, sendo que a banda foi até certo ponto obrigada pela sua gravadora a registrar posteriormente a cover de "Kissin' Time", na tentativa de alavancar as vendas em um relançamento.

O álbum homônimo possui momentos fantásticos, em que o Kiss apresenta suas influências estampadas em grandes faixas de Rock. "Strutter" é, na minha opinião, a melhor do álbum. Abre os trabalhos causando o impacto necessário para chamar a atenção. Um fator interessante é que foi escrita antes de Ace Frehley se juntar ao quarteto. Um hit.
Gene Simmons nos entrega suas influências de Beatles em "Nothin' to Lose". Uma faixa com muitas características das canções de rock dos anos 60.
O gênio Paul Stanley apavora na cadenciada "Firehouse", mais um clássico da banda. "Cold Gin" segue a mesma linha, porém "Firehouse" é superior.
"Let Me Know" é uma das minhas favoritas. A alternância de vocais de Gene e Paul lembra muito o que faziam Lennon e McCartney. A faixa é simplesmente Rock And Roll em sua essência.
Prefiro pular o cover de "Kissin' Time" e falar sobre mais uma grande faixa de Gene Simmons: "Deuce". Aqui temos um pouco de The Who como influência, em um rock mais pesado e rasgado.
A filler "Love Theme from Kiss" passa despercebida diante das demais e a dupla "100,000 Years", com grande vocal de Paul, e a espetacular "Black Diamond", fecham o álbum em grande estilo, calcadas em blues rock conduzido pelas guitarras de Paul e Ace.

Como fã de Beatles que sou, não poderia deixar de destacar a homenagem ao grupo de Liverpool na arte da capa, bem similar ao álbum "With The Beatles" dos ingleses.

Com este lançamento, o Kiss viria a conseguir atenção da mídia para divulgar seu trabalho e mostrar que merecia espaço. Fato consumado em definitivo ainda no mesmo ano, com o lançamento de seu segundo álbum, "Hotter than Hell".

Um dos grandes álbuns de estreia do mundo rock
4
15/01/2018

Em 1974, um grupo de garotos de Nova Iorque, mascarados e com seus vinte e poucos anos, lançava o seu trabalho homônimo de estreia. Seria o primeiro degrau de uma banda que atingiu o topo e arrasta multidões de fãs fanáticos e fervorosos, amantes de boa música.

Apesar de possuir excelentes faixas que atravessam várias vertentes do rock, “Kiss”, o álbum, não foi tão bem nas paradas inicialmente, sendo que a banda foi até certo ponto obrigada pela sua gravadora a registrar posteriormente a cover de "Kissin' Time", na tentativa de alavancar as vendas em um relançamento.

O álbum homônimo possui momentos fantásticos, em que o Kiss apresenta suas influências estampadas em grandes faixas de Rock. "Strutter" é, na minha opinião, a melhor do álbum. Abre os trabalhos causando o impacto necessário para chamar a atenção. Um fator interessante é que foi escrita antes de Ace Frehley se juntar ao quarteto. Um hit.
Gene Simmons nos entrega suas influências de Beatles em "Nothin' to Lose". Uma faixa com muitas características das canções de rock dos anos 60.
O gênio Paul Stanley apavora na cadenciada "Firehouse", mais um clássico da banda. "Cold Gin" segue a mesma linha, porém "Firehouse" é superior.
"Let Me Know" é uma das minhas favoritas. A alternância de vocais de Gene e Paul lembra muito o que faziam Lennon e McCartney. A faixa é simplesmente Rock And Roll em sua essência.
Prefiro pular o cover de "Kissin' Time" e falar sobre mais uma grande faixa de Gene Simmons: "Deuce". Aqui temos um pouco de The Who como influência, em um rock mais pesado e rasgado.
A filler "Love Theme from Kiss" passa despercebida diante das demais e a dupla "100,000 Years", com grande vocal de Paul, e a espetacular "Black Diamond", fecham o álbum em grande estilo, calcadas em blues rock conduzido pelas guitarras de Paul e Ace.

Como fã de Beatles que sou, não poderia deixar de destacar a homenagem ao grupo de Liverpool na arte da capa, bem similar ao álbum "With The Beatles" dos ingleses.

Com este lançamento, o Kiss viria a conseguir atenção da mídia para divulgar seu trabalho e mostrar que merecia espaço. Fato consumado em definitivo ainda no mesmo ano, com o lançamento de seu segundo álbum, "Hotter than Hell".

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Kiss

Album Cover

Kiss - Creatures Of The Night (1982)

Como uma fênix renascendo das cinzas
5
Por: André Luiz Paiz
03/07/2018
Album Cover

Kiss - Music from "The Elder" (1981)

Uma banda sem saber para onde ir
2.5
Por: André Luiz Paiz
19/06/2018
Album Cover

Kiss - Hotter Than Hell (1974)

Não tão quente
3.5
Por: André Luiz Paiz
27/02/2018

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Wishbone Ash - Argus (1972)

Um disco de musicalidade precisa e emoção honesta.
5
Por: Tiago Meneses
16/11/2017
Album Cover

Steve Hackett - Defector (1980)

Não é o seu melhor, porém, se não existisse você sentiria falta de algo.
3.5
Por: Tiago Meneses
31/01/2018
Album Cover

O Terço - Criaturas da Noite (1974)

Um marco definitivo dentro de toda a paisagem do rock progressivo brasileiro
5
Por: Tiago Meneses
13/04/2018