Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Demons and Wizards - Demons And Wizards (2000)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 235

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Bem Iced Earth com pouco Blind Guardian
3.5
14/11/2017

Primeiramente, caso esteja se perguntando se o título desta resenha representa algo ruim, me arrisco a dizer que não. Quer dizer, depende do que você espera.
Em 1999, entre as sessões de gravação de "Something Wicked This Way Comes" e "Horror Show" para o Iced Earth, e entre "Nightfall in Middle-Earth" e "A Night At The Opera" para o Blind Guardian, Hansi Kürsch e Jon Schaffer iniciaram a construção de um novo projeto chamado: "Demons And Wizards", na intenção de mesclar as influências de ambos e a sonoridade de suas bandas. Lançado em 2000, o álbum homônimo possui bons momentos, porém também dividiu opiniões.

"Demons And Wizards" é um álbum pesado. Algumas das críticas relacionadas ao trabalho são direcionadas ao fato das músicas serem demasiadamente parecidas com o Iced Earth. Fato, já que todas foram compostas por Shaffer e seu estilo é bem característico. Como Hansi criou as letras e trabalhou com algumas melodias, isso acabou contribuindo para que não soassem tão igual. Alguns críticos classificaram o disco como "o álbum perdido do Iced Earth", afirmando que tudo o que foi gravado aqui são simplesmente sobras de trabalhos anteriores da banda.
Na minha opinião, o álbum é muito bom. Possui o peso que se espera e Hansi Kürsch se destaca em alto nível, principalmente nas linhas vocais mais graves e rasgadas. Em alguns momentos considero que há vocalizações em excesso. Curiosamente seria esta a direção que Hansi viria a seguir com "A Night At The Opera", do Blind Guardian. Suas contribuições na parte lírica também são bem interessantes, com temas obscuros, sombrios, espirituais e místicos. Já na parte instrumental, Jon Schaffer trouxe grandes faixas e riffs pesados, porém o que peca aqui é que algumas canções soam bem repetitivas, principalmente da metade do álbum para frente, sendo que prejudica e muito uma tentativa de audição completa.
Sobras do Iced Earth? Não sei, mas faixas como "Heaven Denies", a espetacular "Poor Man's Crusade", "Blood on My Hands" e "Winter Of Souls" são destaques positivos. As baladas "Fiddler on the Green" e "Path of Glory" são ótimas. "Tear Down the Wall" também é interessante. Já o restante não é sempre que dá para encarar.

Apesar dos pesares, o saldo é positivo, pois são duas figuras importantes trabalhando juntas e fazendo Heavy Metal. Inclusive, Schaffer anunciou recentemente que irá se reunir com Hansi em breve para começarem os trabalhos para o terceiro álbum do projeto. Ótimas notícias!

Não tenha receio, aumente o volume e pode curtir sem medo.

Bem Iced Earth com pouco Blind Guardian
3.5
14/11/2017

Primeiramente, caso esteja se perguntando se o título desta resenha representa algo ruim, me arrisco a dizer que não. Quer dizer, depende do que você espera.
Em 1999, entre as sessões de gravação de "Something Wicked This Way Comes" e "Horror Show" para o Iced Earth, e entre "Nightfall in Middle-Earth" e "A Night At The Opera" para o Blind Guardian, Hansi Kürsch e Jon Schaffer iniciaram a construção de um novo projeto chamado: "Demons And Wizards", na intenção de mesclar as influências de ambos e a sonoridade de suas bandas. Lançado em 2000, o álbum homônimo possui bons momentos, porém também dividiu opiniões.

"Demons And Wizards" é um álbum pesado. Algumas das críticas relacionadas ao trabalho são direcionadas ao fato das músicas serem demasiadamente parecidas com o Iced Earth. Fato, já que todas foram compostas por Shaffer e seu estilo é bem característico. Como Hansi criou as letras e trabalhou com algumas melodias, isso acabou contribuindo para que não soassem tão igual. Alguns críticos classificaram o disco como "o álbum perdido do Iced Earth", afirmando que tudo o que foi gravado aqui são simplesmente sobras de trabalhos anteriores da banda.
Na minha opinião, o álbum é muito bom. Possui o peso que se espera e Hansi Kürsch se destaca em alto nível, principalmente nas linhas vocais mais graves e rasgadas. Em alguns momentos considero que há vocalizações em excesso. Curiosamente seria esta a direção que Hansi viria a seguir com "A Night At The Opera", do Blind Guardian. Suas contribuições na parte lírica também são bem interessantes, com temas obscuros, sombrios, espirituais e místicos. Já na parte instrumental, Jon Schaffer trouxe grandes faixas e riffs pesados, porém o que peca aqui é que algumas canções soam bem repetitivas, principalmente da metade do álbum para frente, sendo que prejudica e muito uma tentativa de audição completa.
Sobras do Iced Earth? Não sei, mas faixas como "Heaven Denies", a espetacular "Poor Man's Crusade", "Blood on My Hands" e "Winter Of Souls" são destaques positivos. As baladas "Fiddler on the Green" e "Path of Glory" são ótimas. "Tear Down the Wall" também é interessante. Já o restante não é sempre que dá para encarar.

Apesar dos pesares, o saldo é positivo, pois são duas figuras importantes trabalhando juntas e fazendo Heavy Metal. Inclusive, Schaffer anunciou recentemente que irá se reunir com Hansi em breve para começarem os trabalhos para o terceiro álbum do projeto. Ótimas notícias!

Não tenha receio, aumente o volume e pode curtir sem medo.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Running Wild - Death Or Glory (1989)

Os piratas do Metal em grande forma!
4
Por: Tarcisio Lucas
18/10/2018
Album Cover

Rhapsody of Fire - Legendary Years (2017)

Volta ao passado, olhar pro futuro
4
Por: Tarcisio Lucas
15/06/2018
Album Cover

Stratovarius - Fourth Dimension (1995)

O início de uma nova era!
4.5
Por: Tarcisio Lucas
17/02/2019