Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Bruce Springsteen - Working On A Dream (2009)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 102

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
O sucessor do fantástico Magic
3.5
16/10/2017

Após o grande destaque recebido em 2007 diante do lançamento do aclamado "Magic", Bruce não perdeu tempo, recrutou novamente a E Street Band e juntos começaram os preparativos para um novo álbum, que viria a se chamar "Working On A Dream". A intenção de Bruce era manter os ares da mais recente turnê, para que influenciasse nas sessões de gravação.
Com letras mais leves e esperançosas que seu antecessor, "Working On A Dream" possui muitos acertos, mas alguns erros também, já que algumas canções parecem remanescentes das sessões de "Magic", não aproveitadas naquele momento.

O álbum abre com uma das melhores faixas que Bruce já compôs. Com oito minutos de duração, "Outlaw Pete" consegue não entediar. Possui grande refrão e o destaque é total para a performance de Bruce como vocalista. Uma grande faixa.
Seguindo com "My Lucky Day", o nível se mantém elevado. Mais uma bela faixa, mais rápida e mais rock.
A faixa-título soa como Bob Dylan e Tom Petty and The Heartbreakers. Uma grande balada, assim como a seguinte: "Queen of the Supermarket".
Em seguida, uma sequência de três faixas que, na minha opinião, soam como "fillers", pois não possuem o mesmo nível das anteriores. "This Life" lembra um pouco o grande Roy Orbison. Já o rock "What Love Can Do" e a bluesista "Good Eye" definitivamente não impressionam.
O nível volta a subir com a belíssima Country/Folk "Tomorrow Never Knows". Como pode uma canção tão simples e tão curta, ser tão completa? Bom, os Beatles com certeza respondem esta questão.
"Life Itself" e "Kingdom of Days" também são destaques negativos, pois suas estruturas e melodias não inovam e talvez poderiam ter sido mais bem trabalhadas, ou descartadas. Com "Surprise, Surprise" melhora um pouco.
"The Last Carnival" é linda. Aqui Bruce é novamente o destaque em mais uma grande balada Folk praticamente acústica. A faixa possui lindas vocalizações de apoio.
A bônus acústica The Wrestles também é bacana, mas está bem posicionada classificada como faixa extra, assim como a bluesista "A Night With The Jersey Devil (Bonus Track). Ambas acrescentam pouco ao projeto como um todo.

"Working On A Dream" é um álbum muito bom. Possui grandes faixas, como: "Outlaw Pete", "Tomorrow Never Knows" e "My Lucky Day". Pena que há algumas canções não tão notáveis que, lá pra segunda ou terceira audição, já sentimos vontade de pulá-las. Mas, no geral, o disco agrada bastante.

O sucessor do fantástico Magic
3.5
16/10/2017

Após o grande destaque recebido em 2007 diante do lançamento do aclamado "Magic", Bruce não perdeu tempo, recrutou novamente a E Street Band e juntos começaram os preparativos para um novo álbum, que viria a se chamar "Working On A Dream". A intenção de Bruce era manter os ares da mais recente turnê, para que influenciasse nas sessões de gravação.
Com letras mais leves e esperançosas que seu antecessor, "Working On A Dream" possui muitos acertos, mas alguns erros também, já que algumas canções parecem remanescentes das sessões de "Magic", não aproveitadas naquele momento.

O álbum abre com uma das melhores faixas que Bruce já compôs. Com oito minutos de duração, "Outlaw Pete" consegue não entediar. Possui grande refrão e o destaque é total para a performance de Bruce como vocalista. Uma grande faixa.
Seguindo com "My Lucky Day", o nível se mantém elevado. Mais uma bela faixa, mais rápida e mais rock.
A faixa-título soa como Bob Dylan e Tom Petty and The Heartbreakers. Uma grande balada, assim como a seguinte: "Queen of the Supermarket".
Em seguida, uma sequência de três faixas que, na minha opinião, soam como "fillers", pois não possuem o mesmo nível das anteriores. "This Life" lembra um pouco o grande Roy Orbison. Já o rock "What Love Can Do" e a bluesista "Good Eye" definitivamente não impressionam.
O nível volta a subir com a belíssima Country/Folk "Tomorrow Never Knows". Como pode uma canção tão simples e tão curta, ser tão completa? Bom, os Beatles com certeza respondem esta questão.
"Life Itself" e "Kingdom of Days" também são destaques negativos, pois suas estruturas e melodias não inovam e talvez poderiam ter sido mais bem trabalhadas, ou descartadas. Com "Surprise, Surprise" melhora um pouco.
"The Last Carnival" é linda. Aqui Bruce é novamente o destaque em mais uma grande balada Folk praticamente acústica. A faixa possui lindas vocalizações de apoio.
A bônus acústica The Wrestles também é bacana, mas está bem posicionada classificada como faixa extra, assim como a bluesista "A Night With The Jersey Devil (Bonus Track). Ambas acrescentam pouco ao projeto como um todo.

"Working On A Dream" é um álbum muito bom. Possui grandes faixas, como: "Outlaw Pete", "Tomorrow Never Knows" e "My Lucky Day". Pena que há algumas canções não tão notáveis que, lá pra segunda ou terceira audição, já sentimos vontade de pulá-las. Mas, no geral, o disco agrada bastante.

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Bruce Springsteen

Album Cover

Bruce Springsteen - Magic (2007)

Mágica para os ouvidos
4.5
Por: André Luiz Paiz
06/10/2017

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Tears for Fears - Everybody Loves A Happy Ending (2004)

De volta com os membros originais, o final foi feliz
4.5
Por: André Luiz Paiz
12/09/2017
Album Cover

O Terço - Criaturas da Noite (1974)

Um marco definitivo dentro de toda a paisagem do rock progressivo brasileiro
5
Por: Tiago Meneses
13/04/2018
Album Cover

Bad Company - Company of Strangers (1995)

Um pouco sonolento
3
Por: André Luiz Paiz
22/03/2017