Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Mattilha - Ninguém é Santo (2014)

Por: Vitor Sobreira

Acessos: 61

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
E você pensando que é santo...
4
03/07/2019

Quem procura por algo bom, sempre acaba achando, e um som igual ao destes “dogs” paulistanos é um deleite aos ouvidos, afinal de contas, para uma banda séria resolver usar seu idioma de origem (no caso aqui, o português), é fundamental que tudo seja bem arquitetado e soe condizente com seus planos. De forma ousada, 'Ninguém é Santo' nomeou o primeiro disco do Mattilha, lançado em 2014, e que mesmo sendo um grupo relativamente novo, vem se mostrando memorável.

Eis aqui um som direto, sem “mi mi mi” e bem sacado, com músicas atraentes do início ao fim e que realmente prendem a nossa atenção em um Hard’n’Roll envolvente, malicioso e com peso equilibrado. A boa produção, a execução honesta por parte dos músicos e as letras também não ficam para trás, falando sobre temas bem ligados ao estilo, assim como “Filhos da Pompéia”, que é uma homenagem ao bairro paulistano de onde a banda veio, e que possui forte tradição roqueira.

Dentre outros destaques, facilmente “Sem Hora Marcada”, “O Risco”, “Duro de Dizer”, “Feita Pra Mim” e “Noites no Bar”, poderão ser uma grata surpresa para os mais desatentos e curiosos de plantão. E você, leitor e ouvinte, tem alguma em especial?

Após a saída do baixista Henrique Nunes, banda conta com o baixista Andrews ‘Andy’ Einech nas quatro cordas. Ainda em tempo, não posso deixar de ressaltar também o trabalho que o Mattilha faz em conjunto com algumas outras bandas de São Paulo, o Base Rock, que por sua vez, já possui duas coletâneas. Se lhe interessar, basta acessar o site da banda.

Para finalizar, o disco vem em formato digipack e o encarte é do tipo pôster, sem contar também o preço, que é super acessível, principalmente se for comprado pessoalmente com os integrantes, mostrando o nível de qualidade que a banda nos oferece. Mesmo estando disponível para download gratuito em seu site oficial, se for possível, apoie e incentive adquirindo o material físico, que além de valer muito a pena, garanto que é diversão garantida!

E você pensando que é santo...
4
03/07/2019

Quem procura por algo bom, sempre acaba achando, e um som igual ao destes “dogs” paulistanos é um deleite aos ouvidos, afinal de contas, para uma banda séria resolver usar seu idioma de origem (no caso aqui, o português), é fundamental que tudo seja bem arquitetado e soe condizente com seus planos. De forma ousada, 'Ninguém é Santo' nomeou o primeiro disco do Mattilha, lançado em 2014, e que mesmo sendo um grupo relativamente novo, vem se mostrando memorável.

Eis aqui um som direto, sem “mi mi mi” e bem sacado, com músicas atraentes do início ao fim e que realmente prendem a nossa atenção em um Hard’n’Roll envolvente, malicioso e com peso equilibrado. A boa produção, a execução honesta por parte dos músicos e as letras também não ficam para trás, falando sobre temas bem ligados ao estilo, assim como “Filhos da Pompéia”, que é uma homenagem ao bairro paulistano de onde a banda veio, e que possui forte tradição roqueira.

Dentre outros destaques, facilmente “Sem Hora Marcada”, “O Risco”, “Duro de Dizer”, “Feita Pra Mim” e “Noites no Bar”, poderão ser uma grata surpresa para os mais desatentos e curiosos de plantão. E você, leitor e ouvinte, tem alguma em especial?

Após a saída do baixista Henrique Nunes, banda conta com o baixista Andrews ‘Andy’ Einech nas quatro cordas. Ainda em tempo, não posso deixar de ressaltar também o trabalho que o Mattilha faz em conjunto com algumas outras bandas de São Paulo, o Base Rock, que por sua vez, já possui duas coletâneas. Se lhe interessar, basta acessar o site da banda.

Para finalizar, o disco vem em formato digipack e o encarte é do tipo pôster, sem contar também o preço, que é super acessível, principalmente se for comprado pessoalmente com os integrantes, mostrando o nível de qualidade que a banda nos oferece. Mesmo estando disponível para download gratuito em seu site oficial, se for possível, apoie e incentive adquirindo o material físico, que além de valer muito a pena, garanto que é diversão garantida!

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Kiss - Psycho Circus (1998)

Boas músicas em uma reunião desastrosa
4
Por: André Luiz Paiz
17/12/2018
Album Cover

Steve Hackett - Wuthering Nights: Live in Birmingham (2018)

Um mestre da guitarra em ao vivo irretocável
5
Por: Roberto Rillo Bíscaro
08/05/2018
Album Cover

Tyketto - Don't Come Easy (1991)

Um dos grandes clássicos do Hard Rock
5
Por: André Luiz Paiz
18/01/2018