Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Yoso - Elements (2010)

Por: André Klawa

Acessos: 90

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
YES + TOTO = YOSO. Nome ruim para um bom disco...
3.5
11/06/2019

O ano é 2010, e os membros do CIRCA: Billy Sherwood (baixo e vocais principais e vocais de apoio) Tony Kaye (teclados), Jimmy Haun (guitarras e vocais de apoio) e Lou Molino lll (bateria e vocais de apoio, substituto de Alan White do Yes) gravaram esse trabalho com Bobby Kimball (vocalista do TOTO em duas formações, considerado por muitos a melhor voz da banda até hoje).
O que esperar de um semi-Yes com o vocalista do TOTO? Rocks robustos, boas vocalizações, produção bem feita (feita pelo Sherwood), letras mais ou menos...
Cada um é mestre em seu instrumento: Sherwood é um dos melhores clones do saudoso Chris Squire do Yes. Vocalista limitado, soou agradável nas faixas. 
Tony Kaye é o subestimado tecladista original do Yes: um dos melhores no órgão Hammond, fez bonito nos outros timbres. Competente.
Jimmy Haun, por sua vez, é um ótimo clone de Steve Howe, do Yes. Aqui nesse disco ele soou mais original, ponto para ele!
Já Lou Molino lll carece de uma identidade, soa convencional, não é ruim, mas com pouca personalidade.
E Bobby Kimball é um grande vocalista, mas em alguns momentos soa um pouco deslocado. Nada comprometedor, sobra tarimba no bigogudo.
A gravação é bem feita, mas às vezes soa um pouco fria, apesar de boas composições no geral.

A primeira faixa, que leva o nome da banda, é um AOR muito bem feito, com boas vocalizações de Kimball e Sherwood, abre o disco com energia!
Path To Your Heart tem uma levada bem parecida com Rosanna do TOTO, é um pouco morna, faltou uma pegada mais firme, mas é uma boa música.
Where You'll Stay começa com um violão acústico e a bela voz de Kimball, tem um clima de balada country, simples mas eficiente. 
Walk Away é outra faixa que poderia ter sido gravada pelo TOTO: suingada, bem feita, prá cima, mas o Kimball força um pouco a voz, não soa muito legal...
The New Revolution é um rock como se espera desses caras! Bons riffs, órgão nervoso, baixo marcado, bateria com vontade, guitarras gritando! Talvez a melhor faixa do disco!
 To Seek The Truth é uma música meio floydiana dos anos 80, como do disco A Momentary Lapse Of Reason. Bela melodia, o Sherwood se esforça e canta muito bem, mas nada espetacular.
Only One é outra faixa bem típica do TOTO, bom groove, bem feita, mas um pouco convencional. Falta um elemento-surpresa (trocadilho ruim com o título, me perdoem).
Close The Curtain é outra tentatia de soar como o TOTO, e funciona melhor que a faixa anterior. 
Won't End Tonight é boa, mas já começa a desgastar a fórmula... faixa comum... até tem uma gaitinha de boca solando, mas nada muito especial...
Come This Far é agradável, com bons synths do Kaye. Mas é só...
Time To Get Up lembra um pouco a parceria do Kimball com o Jimi Jamison, falecido vocalista do Survivor. Tem boa pegada, e o baixo é muito bom, além do esperado solo de Hammond do Kaye. (sou fã do velhinho, fazer o quê...)
Return To Yesterday tenta como diz o título, soar mais como uma balada dos anos 70. Tem bons vocais, mas podia ser um pouco mais progressiva... Aliás, nenhuma das faixas é realmente prog, mas no geral tem elementos (olha eu de novo) de prog que soam bem enxutos.

Indicado para quem não tem preconceito com o Yes dos anos 80, e curte o pop-rock bem feito do TOTO. Só esse nome, YOSO, podia ser melhor...

YES + TOTO = YOSO. Nome ruim para um bom disco...
3.5
11/06/2019

O ano é 2010, e os membros do CIRCA: Billy Sherwood (baixo e vocais principais e vocais de apoio) Tony Kaye (teclados), Jimmy Haun (guitarras e vocais de apoio) e Lou Molino lll (bateria e vocais de apoio, substituto de Alan White do Yes) gravaram esse trabalho com Bobby Kimball (vocalista do TOTO em duas formações, considerado por muitos a melhor voz da banda até hoje).
O que esperar de um semi-Yes com o vocalista do TOTO? Rocks robustos, boas vocalizações, produção bem feita (feita pelo Sherwood), letras mais ou menos...
Cada um é mestre em seu instrumento: Sherwood é um dos melhores clones do saudoso Chris Squire do Yes. Vocalista limitado, soou agradável nas faixas. 
Tony Kaye é o subestimado tecladista original do Yes: um dos melhores no órgão Hammond, fez bonito nos outros timbres. Competente.
Jimmy Haun, por sua vez, é um ótimo clone de Steve Howe, do Yes. Aqui nesse disco ele soou mais original, ponto para ele!
Já Lou Molino lll carece de uma identidade, soa convencional, não é ruim, mas com pouca personalidade.
E Bobby Kimball é um grande vocalista, mas em alguns momentos soa um pouco deslocado. Nada comprometedor, sobra tarimba no bigogudo.
A gravação é bem feita, mas às vezes soa um pouco fria, apesar de boas composições no geral.

A primeira faixa, que leva o nome da banda, é um AOR muito bem feito, com boas vocalizações de Kimball e Sherwood, abre o disco com energia!
Path To Your Heart tem uma levada bem parecida com Rosanna do TOTO, é um pouco morna, faltou uma pegada mais firme, mas é uma boa música.
Where You'll Stay começa com um violão acústico e a bela voz de Kimball, tem um clima de balada country, simples mas eficiente. 
Walk Away é outra faixa que poderia ter sido gravada pelo TOTO: suingada, bem feita, prá cima, mas o Kimball força um pouco a voz, não soa muito legal...
The New Revolution é um rock como se espera desses caras! Bons riffs, órgão nervoso, baixo marcado, bateria com vontade, guitarras gritando! Talvez a melhor faixa do disco!
 To Seek The Truth é uma música meio floydiana dos anos 80, como do disco A Momentary Lapse Of Reason. Bela melodia, o Sherwood se esforça e canta muito bem, mas nada espetacular.
Only One é outra faixa bem típica do TOTO, bom groove, bem feita, mas um pouco convencional. Falta um elemento-surpresa (trocadilho ruim com o título, me perdoem).
Close The Curtain é outra tentatia de soar como o TOTO, e funciona melhor que a faixa anterior. 
Won't End Tonight é boa, mas já começa a desgastar a fórmula... faixa comum... até tem uma gaitinha de boca solando, mas nada muito especial...
Come This Far é agradável, com bons synths do Kaye. Mas é só...
Time To Get Up lembra um pouco a parceria do Kimball com o Jimi Jamison, falecido vocalista do Survivor. Tem boa pegada, e o baixo é muito bom, além do esperado solo de Hammond do Kaye. (sou fã do velhinho, fazer o quê...)
Return To Yesterday tenta como diz o título, soar mais como uma balada dos anos 70. Tem bons vocais, mas podia ser um pouco mais progressiva... Aliás, nenhuma das faixas é realmente prog, mas no geral tem elementos (olha eu de novo) de prog que soam bem enxutos.

Indicado para quem não tem preconceito com o Yes dos anos 80, e curte o pop-rock bem feito do TOTO. Só esse nome, YOSO, podia ser melhor...

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

Van Der Graaf Generator - Still Life (1976)

Composições complexas, porém, melódicas e fáceis de serem desfrutadas.
5
Por: Tiago Meneses
23/06/2018
Album Cover

Soul Enema - Of Clans And Clones And Clowns (2017)

Impressionante, aventureiro e bem orientado.
4
Por: Tiago Meneses
08/10/2017
Album Cover

Anglagard - Hybris (1992)

Música complexa, nítida, nervosa e de toques obscuros.
5
Por: Tiago Meneses
08/10/2017