Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Resenha: Lyria - Catharsis (2014)

Por: André Luiz Paiz

Acessos: 94

Compartilhar:

Facebook Twitter
User Photo
Album Cover
Destaque do metal sinfônico nacional
4
06/06/2019

O Lyria é um grupo de metal sinfônico brasileiro - mais precisamente do Rio de Janeiro - e criado em 2012 pela vocalista/compositora Aline Happ. Ganhou destaque através das plataformas digitais e, em 2014, conseguiu lançar o seu primeiro álbum através de financiamento coletivo. "Catharsis" surpreende pela qualidade das composições e dos membros participantes, além de nos fazer indagar as razões para ainda não estarem no mainstream das bandas de metal nacional.

O álbum traz uma combinação de metal sinfônico - este mais predominante - com algumas pitadas de metal alternativo e música celta. São influências principalmente de Within Temptation e Nightwish, que são explícitas, além de grupos como Lacuna Coil, Evanescence e Epica. Temos aqui dez ótimas canções que mostram toda a versatilidade da banda. Linhas vocais densas e com a melancolia necessária do estilo, estão alinhadas a riffs pesados de guitarra e ótima pegada da cozinha. Tudo bem balanceado e produzido.

"The True War" causa o impacto necessário para uma faixa de abertura. Nela somos transportados para a fase "The Silent Force" do Within Temptation. Ótimos corais e belas orquestrações são o destaque, além do peso.
"Revenge" é pesada e puxa para o alternativo. Eficiência total no objetivo.
"Jester" é um hit. Melodia de fácil assimilação e boa cadência. Uma faixa que funciona muito bem ao vivo.
"The Phoenix Cry" é uma balada heavy com destaque para as linhas vocais de Aline, além do peso, que novamente se sobressai. "Reflection" segue o mesmo caminho, embora não se destaque tanto quanto a anterior.
"Insanity" segue a trilha de  "Revenge", mas com Aline cantando em linhas mais altas e operísticas. Uma boa faixa, mas as linhas vocais mais graves me agradam mais.
A fênix renasce com "The Phoenix Rebirth", pesada ao extremo e com boas melodias vocais. Uma das melhores do álbum.
"Light And Darkness" também é pesada, mas agora mais cadenciada e com foco na ótima melodia do refrão, sobressaindo-se assim como a faixa anterior.
Seguindo em direção ao final do álbum, "What Do You Want From Me" é melódica e com ótimas linhas de guitarra. A faixa é bem legal e abre espaço para o encerramento com a linda balada "Craven", outro grande momento.

Além do êxito na parte musical, a parte lírica é bem sentimental, com mensagens que transmitem força e motivação, além da tradicional melancolia do estilo, demonstrando que as batalhas da vida são árduas e difíceis.

O Lyria é uma banda que me surpreendeu bastante quando a conheci. Algo que eu os sugeriria, se pudesse, seria a inclusão de elementos da música brasileira em algumas canções, estabelecendo ainda mais uma característica única dentro do estilo.

Se você é fã das bandas já citadas e não costuma olhar muito para o metal nacional, repare este erro imediatamente e adquira a sua cópia de "Catharsis".

Destaque do metal sinfônico nacional
4
06/06/2019

O Lyria é um grupo de metal sinfônico brasileiro - mais precisamente do Rio de Janeiro - e criado em 2012 pela vocalista/compositora Aline Happ. Ganhou destaque através das plataformas digitais e, em 2014, conseguiu lançar o seu primeiro álbum através de financiamento coletivo. "Catharsis" surpreende pela qualidade das composições e dos membros participantes, além de nos fazer indagar as razões para ainda não estarem no mainstream das bandas de metal nacional.

O álbum traz uma combinação de metal sinfônico - este mais predominante - com algumas pitadas de metal alternativo e música celta. São influências principalmente de Within Temptation e Nightwish, que são explícitas, além de grupos como Lacuna Coil, Evanescence e Epica. Temos aqui dez ótimas canções que mostram toda a versatilidade da banda. Linhas vocais densas e com a melancolia necessária do estilo, estão alinhadas a riffs pesados de guitarra e ótima pegada da cozinha. Tudo bem balanceado e produzido.

"The True War" causa o impacto necessário para uma faixa de abertura. Nela somos transportados para a fase "The Silent Force" do Within Temptation. Ótimos corais e belas orquestrações são o destaque, além do peso.
"Revenge" é pesada e puxa para o alternativo. Eficiência total no objetivo.
"Jester" é um hit. Melodia de fácil assimilação e boa cadência. Uma faixa que funciona muito bem ao vivo.
"The Phoenix Cry" é uma balada heavy com destaque para as linhas vocais de Aline, além do peso, que novamente se sobressai. "Reflection" segue o mesmo caminho, embora não se destaque tanto quanto a anterior.
"Insanity" segue a trilha de  "Revenge", mas com Aline cantando em linhas mais altas e operísticas. Uma boa faixa, mas as linhas vocais mais graves me agradam mais.
A fênix renasce com "The Phoenix Rebirth", pesada ao extremo e com boas melodias vocais. Uma das melhores do álbum.
"Light And Darkness" também é pesada, mas agora mais cadenciada e com foco na ótima melodia do refrão, sobressaindo-se assim como a faixa anterior.
Seguindo em direção ao final do álbum, "What Do You Want From Me" é melódica e com ótimas linhas de guitarra. A faixa é bem legal e abre espaço para o encerramento com a linda balada "Craven", outro grande momento.

Além do êxito na parte musical, a parte lírica é bem sentimental, com mensagens que transmitem força e motivação, além da tradicional melancolia do estilo, demonstrando que as batalhas da vida são árduas e difíceis.

O Lyria é uma banda que me surpreendeu bastante quando a conheci. Algo que eu os sugeriria, se pudesse, seria a inclusão de elementos da música brasileira em algumas canções, estabelecendo ainda mais uma característica única dentro do estilo.

Se você é fã das bandas já citadas e não costuma olhar muito para o metal nacional, repare este erro imediatamente e adquira a sua cópia de "Catharsis".

Sample photo

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Mais Resenhas de Lyria

Album Cover

Lyria - Immersion (2018)

Evolução surpreendente
4.5
Por: André Luiz Paiz
06/06/2019

Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Album Cover

VUUR - In This Moment We Are Free - Cities (2017)

VUUR - Proporcionando um belo "momento de liberdade".
5
Por: João Paulo
31/10/2018
Album Cover

Delain - A Decade of Delain - Live in Paradiso (2017)

Uma década maravilhosa da Delain!
5
Por: João Paulo
24/10/2018
Album Cover

Virgin Steele - The House Of Atreus - Act II (2000)

Magnum Opus!!
4.5
Por: Vitor Sobreira
26/01/2019