Para os que respiram música assim como nós


Entrevista: Pedro Braconnot

Acessos: 448


Por: Diogo Franco

10/12/2020

Quem acompanha o movimento gospel viu surgir uma galera revolucionária no final dos anos 70 e início dos anos 80. Os pioneiros desse movimento foram uma banda carioca chamada Rebanhão que, ao introduzir ritmos como Rock, Baião, Pop e etc, causou polêmica no meio gospel. Um nicho antes acostumado a louvores tradicionais da harpa e cantor cristão, não era surpresa que criassem resistência às modernidades da época.

O Rebanhão foi o percussor do Rock dentro das igrejas, sempre com uma mensagem de esperança e letras cativantes. Nesse bate papo, o tecladista e fundador Pedro Braconnot nos contou algumas curiosidades e nos disse como foi iniciar essa revolução no meio evangélico brasileiro.

Confiram!

Site Oficial: rebanhao.com
Canal YouTube: Rebanhão
Facebook: bandarebanhao

Pra começar, nos conte como foi o seu primeiro encontro com o Janires e como surgiu a idéia de formar uma banda.

Janires conheceu minha mãe em uma reunião de oração que ela dirigia. Assim que o encontrei achei ele muito louco mas muito criativo em suas músicas. Ele me convidou para tocar e assim entrei no Rebanhão. Achei a proposta muito legal e assim começou minha jornada na banda.

Em 1979, a música gospel era feita de uma forma mais tradicional, muitas vezes enfatizando hinos da harpa e do cantor cristão , sem a imensa exposição dos cantores como acontece hoje em dia. A direção musical que o Rebanhão tomou foi proposital, ou apenas colocaram suas influências para fora ?

O Janires se inspirou no movimento evangelistico de David Wilkerson, do Desafio Jovem, do livro A Cruz e o Punhal. Janires se converteu no Desafio Jovem de Brasília e a proposta era tocar para fora das quatro paredes.

O Rebanhão foi um marco na música gospel, porém dividiu opiniões. Líderes religiosos criaram polêmicas em torno do grupo, dizendo que não faziam música de Deus justamente por fugir dos padrões convencionais da época. Em contrapartida, muitos jovens recém convertidos (ou até mesmo sem nenhum envolvimento religioso), acabaram abraçando a banda. Como era a ida de vocês nas igrejas e eventos? Como essa resistência dos religiosos se manifestava?

Nosso álbum Mais Doce que o Mel foi lançado pela gravadora Doce Harmonia e correu rapidamente pelas Assembleias de Deus, batistas pela JUERP e presbiterianas. Muitos não entenderam ou não aceitaram a proposta. Fomos impedidos de tocar em várias igrejas mas hoje temos muitos testemunhos de conversões naquela época por causa do trabalho que fizemos. A atualização da música era irreversível.

Musicalmente falando, o Rebanhão é visto como o início do Rock no meio cristão. Porém vocês abordam até hoje, estilos variados, como Pop, Baião, Reggae e até Hard Rock oitentista (como na canção Mistério, de 93). Quais as principais influências musicais da banda?

Uma banda eclética onde eu era um dos mais roqueiros rsrs. Várias influências. Keith Green, Andrae Crouch, Petra, Sinal Verde, Sérgio Pimenta e outros.

Qual era a principal diferença entre compor com Janires e com Carlinhos Félix?

Em parceria tenho uma música com o Carlinhos Felix, Gritos do Silêncio. O Carlinhos tem uma pegada mais internacional. Janires era mais brasileiro.

O Rebanhão deu ao meio gospel (e as igrejas) músicas como Primeiro Amor, Nele Você Pode Confiar, etc... Apesar de toda polêmica, foram canções muito executadas pelos jovens que desejavam aprender um instrumento. Como analisa a influência do grupo até hoje e como fizeram pra não sucumbir perante as críticas do meio e se manterem como influenciadores musicais de uma geração?

As críticas fazem parte. Pra não ser criticado é só não fazer nada. Quanto a ser influenciador, também faz parte. É bom saber que você contribuiu alguma coisa, muito mais pelo Reino de Deus.

A produção do álbum Enquanto é Dia soa mais polida e limpa do que os álbuns anteriores. Qual a diferença básica nas gravações desse disco em relação aos outros?

Gravamos no meu estúdio RB STUDIOS em Copacabana. Nesta época já havia mais recursos digitais nas gravações e tínhamos mais tempo por ser um estúdio próprio.

Ainda sobre o disco Enquanto é Dia, a sonoridade pop é evidente, mesclando com o hard rock oitentista de bandas como Toto e Petra, além do relançamento de uma das canções mais emblemáticas do grupo, o Baião. Por que decidiram regravar/relançar essa canção e quais os motivos que na sua opinião tornaram a sonoridade desse disco mais limpa?

Houve uma mudança na formação com Rogério dy Castro no baixo, Wagner Carvalho na bateria e Dico Parente no vocal. Além disso creio que a experiência e as novas tecnologias mudaram bastante o resultado

Após 93, a banda mudou a sonoridade, numa época em que o mercado gospel também mudou. Como isso afetou a receptividade da banda perante o público e a mídia?

Em 94 estivemos no SOS da Vida em São Paulo e foi muito boa a recepção do público. Depois disso com o tempo fui ficando atolado de trabalho no estúdio e o Rebanhão foi naturalmente diminuindo a atividade.

Vamos falar sobre as letras. A banda nunca abriu mão do humor, mesmo fazendo letras poéticas e profundas. Como mesclar esses elementos sem abrir mão da espiritualidade e sem cometer heresias nas letras (algo infelizmente cada vez mais comum hoje em dia)?

Não fazemos louvores no sentido de músicas feitas para se cantar no período de louvor, na santa ceia ou batismo. Nossa música é coloquial, voltada para fora, pra quem precisa ouvir falar de Jesus. Geralmente não cantamos a Bíblia, embora há vários versículos como na Flor do Campo por exemplo. É importante o humor porque mostra que somos pessoas comuns e não fundamentalistas religiosos como tentam caracterizar os evangélicos.

Fale sobre suas influências. Quem são seus músicos preferidos?

Muita gente, já disse alguns, fica assim mesmo. Tenho um gosto muito eclético.

Se você pudesse escolher um único disco pra ouvir a sua vida inteira, levando em conta apenas o aspecto musical, qual escolheria?

Nenhum (risos), seria uma tortura ouvir o mesmo disco assim.

Que canções do grupo considera as mais marcantes pra você e qual a canção não muito conhecida você indicaria pra alguém que gostaria de conhecer a obra do Rebanhão?

Mais marcantes são Baião, Palácios, Primeiro Amor. Menos conhecidas eu lembro de Mar de Amor, Refúgio, Mistério, Elo Perdido,etc.

Qual foi o disco mais fácil de ter sido gravado e qual o mais complicado em estúdio?

Sempre foi muito trabalho, não sei responder (risos).

Como tem sido essa volta, e como foi tocar com Carlinhos Félix novamente?

Foi muito legal. O Carlinhos é muito fera. Pudemos reviver um tempo muito bom.

Como foi a parceria com Marquinhos Gomes na música Enquanto é Dia?

Eu conheci o Marquinhos enquanto o Altos Louvores gravava no RB STUDIOS, ele tinha muita vontade de gravar solo e me mostrou essa música. Eu fiz a segunda estrofe e gravamos. Ele é muito talentoso, foi muito legal participar deste tempo com ele. De alguma forma tentei incentivar a sua carreira solo.

Quais grupos atuais se destacam hoje no cenário gospel na sua opinião?

Tem muita coisa boa mas os grupos estão meio em baixa. Hoje tem mais ministérios e cantores.

Vocês possuem 4 discos entre os 100 maiores álbuns da música gospel brasileira, ao lado de nomes como Álvaro Tito , Shyrlei Carvalhaes ,Prisma , Grupo Logos , etc... Existe um sentimento de dever cumprido ou há mais a conquistar?

Trabalhamos bastante (risos) mas a música não sai da gente, claro que as expectativas não são as mesmas. Os tempos mudam. É hora de curtir as novas gerações também.

Gostaria de agradecer por esse papo. Deixe sua mensagem aos nossos leitores e pros fãs do Rebanhão.

Eu agradeço a oportunidade. A mensagem é, não se cale, corra atrás de divulgar a sua mensagem. A música é um meio de Deus tocar no coração das pessoas. 
Se você não é músico, invista na música para abençoar os intérpretes e compositores.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.