Para os que respiram música assim como nós


Entrevista: Mick Fortune

Acessos: 104


Autor: Diogo Franco

29/09/2020

Após um longo hiato, o Fortune resolveu lançar um disco no ano passado, recebendo críticas extremamente positivas de público e imprensa, mostrando que anos se passaram mas a banda não perdeu sua essência. O que você vai ler a seguir pode ser considerada a entrevista que levou menos tempo pra ser feita. O baterista Mick Fortune nos contou detalhes sobre a sua carreira e o retorno, num bate papo direto e sincero.

Confiram!

Visite também a página oficial da banda no Facebook: www.facebook.com/fortunerockers

O Fortune lançou um disco no ano passado, após 34 anos sem lançamentos. Como tem sido a recepção deste registro desde então?

Foi bem recebido por fãs de longa data e novos fãs também.

Por que ficaram tanto tempo sem lançar novo material?

Roger e Larry trabalharam com Harlan Cage, mas o resto de nós foi inspirado a começar de novo quando fomos convidados para o Rockingham em 2016. Roger Craig realmente não estava interessado em viajar por “questões de saúde”. A banda adoraria fazer alguns shows quando as coisas voltarem ao normal. Então, se algum promotor quiser nos adicionar aos seus Fests, deixe que saibamos...

Fãs de Aor/rock melódico veneram a banda e o primeiro álbum, sempre citando-o como um clássico do gênero. o que torna um disco clássico na sua opinião?

A forma como é feito e move o ouvintes emocionalmente, tanto que a música fica impressa em seus corações e mentes implorando para ser revisitada uma e outra vez , e assim para sempre...

Como era fazer música no final dos anos 60 quando vocês começaram na música?

Nos anos 60, eu era um adolescente fazendo shows com nossos familiares. Rich estava fazendo shows maiores com sua banda The Fields no final da década.

O que você fez durante aquele período em que o Fortune não lançou discos?

Toquei com diferentes bandas em shows em clubes e festas, e algumas sessões. Rich fez a música para a Playboy Vídeos por alguns anos e, como mencionei, Roger e Larry estavam gravando discos do Harlan Cage.

Você passou por todos os anos 80. Viu o auge e a decadência da maioria das bandas da época. O que pode ser feito para que o estilo alcance o mainstream novamente?

Acho que a Frontier's Records está ajudando a revivê-la e a nova geração está sendo exposta a ele. Mais festivais realmente ajudariam a compartilhar a riqueza musical também.

Quais músicos e bandas mais te inspiraram a seguir o caminho da música e quais são suas maiores influências?

The Beatles, Jimi Hendrix... etc. Fui criado em um ambiente musical ainda quando vi os Beatles com Ringo na bateria, era como... sim, é absolutamente incrível... eu quero fazer isso! Corri na frente do espelho e penteei meu cabelo em uma franja... Eu era só uma criança. Muitos músicos têm praticamente a mesma história...

Se você pudesse escolher um disco que definiria o seu estilo de tocar e o som que você gosta de fazer, qual seria?

Eu amo Stone Free, de Jimi Hendrix, é muito legal e sexy...

Quais são os planos atuais para o Fortune?

Temos outro álbum para fazer pela Frontier's... não posso dizer quando. Nós realmente queremos fazer mais shows. Tivemos uma reunião com um velho amigo que era DJ de uma grande rádio de LA que agora está gerenciando algumas bandas enormes. Vamos ver o que acontece...

Quando comparamos o disco de 78 com o de 85, uma mudança clara no som é percebida. O que contribuiu para isto?

Foi um som mais soul feito com a falecida esposa de Rich, Coleen e sua irmã Maureen. Isso é o que estava na mesa, então eles foram com ele. Eu entrei apenas no final e eles já haviam feito a turnê com Buddy Miles.

Com quais músicos você trabalhou e com quem você gostaria de trabalhar?

Eu toquei com o Nicky Hopkins, que tocou teclado para os Stones, Beatles, Jeff Beck e mais. Toquei também com Booker T Jones e John Mayall.
Eu adoraria tocar com Paul McCartney e Ozzy.

Como a pandemia afetou os planos da banda?

Eu não vejo muita coisa acontecendo, a menos que os eventos voltem e seja possível voltar a promover esses discos com shows ao vivo. Eu odiaria ver a banda retornar à obscuridade como
era antes do Rockingham 2016.

Como é o seu método de composição?

Eu pessoalmente? Eles trazem uma música e eu toco os grooves e preenchimentos que eu sinto que se encaixam na melodia. Eu escrevi uma melodia em minha cabeça em 10 minutos, mas provavelmente é muito blues rock para o melodic rock . Você precisaria perguntar para os principais escritores sobre como eles escrevem.

Que conselho você daria a quem pretende viver de música?

Faça o que você ama até que valha a pena! Também não faria mal obter um diploma de música.

Qual música você mais gosta de tocar ao vivo?

Eu gosto de tocar todas... Lonely Hunter é fantástica.

Os fãs adorariam um show tocando o primeiro álbum na íntegra. Qual é a chance de isso acontecer?

É possível! Faça-nos uma oferta! (risos)

Há planos para uma vinda do Fortune ao Brasil?

Adoraríamos ir ao Brasil. Precisamos de um convite para um festival ou show e estaremos aí! Ei promotores de festivais, estamos interessados!

Obrigado pelo papo. Deixe uma mensagem para os seus fãs brasileiros e para quem ainda não conhece o seu trabalho.

Nós adoraríamos tocar para nossos fãs brasileiros. Se você ainda não nos ouviu, por favor, ouça Fortune, Fortune II e The Guns Still Smokin Live in Milan!
Felicidade, saúde e sucesso a todos!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: