Para os que respiram música assim como nós


Autor: André Luiz Paiz

17/02/2020

Traduzido por: André Luiz Paiz

Arjen Anthony Lucassen é um guitarrista, compositor e produtor dos Países Baixos. Extremamente respeitado pelos diversos projetos criados por ele, seu mais recente lançamento é do projeto Ayreon, que agora tem presenteado os fãs com apresentações ao vivo bombásticas e recheadas de participações de grandes nomes da música. Desta vez, Arjen uniu um time fantástico para execução de um dos seus maiores sucessos, o álbum "Into The Electric Castle", que foi executado ao vivo em setembro último e agora está sendo lançado em vídeo, em diversos formatos.

Do cast original, Arjen conseguiu trazer de volta nomes como Fish (ex-Marillion), Anneke van Giersbergen (VUUR), Damian Wilson, Thijs van Leer (Focus), Ed Warby (Ayreon), Edward Reekers (Kayak), Edwin Balogh e George Oosthoek (ex-Orphanage). Além deles, Simone Simons (Epica), Mark Jansen (Mayan), John Jaycee Cuijpers (Praying Mantis), Marcela Bovio (Mayan), Dianne van Giersbergen (Ex Libris) e Jan Willem Ketelaars também contribuem para trazer ainda mais brilho a esta super produção. Imperdível!

Como os fãs brasileiros também são uma prioridade para Arjen, ele gentilmente nos atendeu para fornecer mais informações sobre o projeto. Confira a entrevista a seguir.

Acesse já o site da Mascot Label Group e reserve a sua cópia de "Electric Castle Live And Other Tales": 
mascotlabelgroup.com/ayreon

Olá Arjen, bem-vindo novamente ao 80 Minutos!

Olá André e todos os meus fiéis fãs aí do Brasil. Espero que gostem da entrevista! Eu tentarei ser o mais sério possível (risos).

Estamos aqui para falar sobre o seu mais novo e espetacular projeto ao vivo.

Obrigado pelo elogio! Sim, estou muito orgulhoso dele.

Viemos falar sobre o lançamento do “Electric Castle Live And Other Tales”. Por favor, nos conte um pouco sobre a magia ao redor deste evento e também o trabalho por detrás dele. Pensei que seria impossível fazer isso novamente após o “Ayreon Universe”, mas você conseguiu!

Eu mesmo estou muito surpreso! Porém, eu jamais teria conseguido fazer isso sozinho. Uma grande parte dos créditos vão para o tecladista Joost Van Der Broek, que cuidou da maior parte. Eu fiquei encarregado do arranjo das músicas e dos músicos participantes. Felizmente, a maior parte do cast original se mostrou bastante empolgado em participar, então não tive que persuadi-los. E a banda foi praticamente a mesma das apresentações do “Ayreon Universe”. É um grupo fantástico e nem precisei me preocupar muito com isso.

O lançamento está em pré-venda e disponível em diversos formados. Quais as vantagens de adquirir o produto neste momento e como chegar até ele?

A principal vantagem em adquirir o produto agora... é porque ele pode acabar (risos). Há um box de madeira que é uma versão fantástica, porém limitada a 1500 cópias. Muitas já se foram, mas ainda temos algumas disponíveis. Ela vem acompanhada de diversos itens bem legais. Mas, devo avisá-los, não é barato. Para aqueles que consideram ser um investimento muito alto, o que eu certamente compreendo, existem vários outros formatos. Deem uma olhada em: mascotlabelgroup.com/ayreon.

Agora falando um pouco sobre o cast, você conseguiu chegar bem próximo do line-up original. E teremos o Fish! Mal posso esperar para vê-lo ao vivo cantando as músicas do álbum. Assistindo o documentário extra do “Ayreon Universe”, vi que Jay Van Feggelen estava bastante inseguro para participar daqueles shows. Vocês chegaram a conversar novamente sobre uma nova participação dele?

Não, eu deliberadamente não tentei. Ele não estava feliz por toda a insegurança que sentiu durante os shows do “Ayreon Universe”, então eu não quis fazer com que ele passasse isso novamente. Substituí-lo foi fácil, com o grande Jaycee (John JayCee Cuijpers – Praying Mantis). Ele se transformou no Bárbaro assim que pisou no palco. Ele possui uma grande voz e um grande carisma.

Outra ausência que será sentida é a de Sharon Den Adel, embora Simone Simmons se mostrou bastante empolgada para participar quando comentamos sobre isso em uma entrevista que fizemos em agosto passado.

Sharon infelizmente estava muito ocupada com o Within Temptation, mas isso acabou se transformando em uma grande oportunidade de trabalhar com a Simone novamente. Ela é fantástica, linda, talentosa e amável.

E sobre a versão frontman de Arjen Lucassen? Explosões de ansiedade em todas as noites?

Ah sim, você me conhece! Muito nervoso e inseguro. Foi a primeira vez que estive num palco como cantor. Não fazia a menor ideia como agir sem uma guitarra pendurada em meu pescoço. Eu também estava totalmente apavorado de cantar junto com estes vocalistas fantásticos. Além disso, eu estava usando uma estranha fantasia Hippie. O que eu estava pensando? (risos)

Eu li que o cast estará reunido novamente para uma participação no festival Night Of The Prog agora em julho. Como surgiu esta oportunidade? Será possível montar a mesma produção de palco e contar com os mesmos músicos?

O projeto Ayreon é frequentemente convidado para participação em festivais, mas sempre optamos por dizer não porque queremos manter esta exclusividade. Mas, neste caso foi muito tentador. Um local lindo e que sempre conta com apresentações de grandes bandas do rock progressivo. Certamente não conseguiremos construir o enorme castelo, pois demoramos uma semana. Mas sim, praticamente o mesmo cast, com exceção do Fish, que participará de outro festival no mesmo dia. Então, nós teremos que substituí-lo e não será fácil encontrar um novo Highlander! Obviamente, também não poderemos contar com o grande ator John de Lancie, do Star Track, mas estamos pensando em uma ótima solução para isso também.

Com esta faceta ao vivo do projeto Ayreon consolidada, qual será a próxima aventura? Se eu pudesse escolher: Duas noites! “The Source” na primeira e “01011001” na segunda. Acho que ficaria feliz em ver Jorn Lande, Russell Allen, Tobias Sammer, Hansi novamente, todos juntos sobre o palco. Estou sonhando demais?

(risos) é bom sonhar! Eu faço isso o tempo todo. E alguns deles acabam se tornando realidade. Obviamente, não é fácil reunir todos estes grandes nomes em uma mesma semana, já que todos possuem as suas bandas, projetos e prioridades. Mas, vamos ver o que o futuro nos trará. Eu farei o meu melhor!

Apesar de estar bastante ocupado com os shows e também com a produção do vídeo, eu sei que você nunca interrompe o seu processo de compor e gravar música. Então, qual será o seu próximo álbum de estúdio? Há algo cozinhando em seu novo “Electric Castle” (nome que Arjen dá ao seu estúdio em sua casa)

Com certeza! Sempre estou trabalhando em material novo. Novamente, você me conhece muito bem. Estou praticamente finalizando o meu novo projeto. Tenho trabalhado nele por alguns anos já, e será enorme! Porém, não posso falar muito sobre ele, desculpe, eu vivo mudando minhas ideias e prefiro não dar informações incorretas.

Agora uma questão para refletir. Você agora tem mais do que certeza de que possui uma base enorme de fãs apaixonados pela sua música. Eles viajam pelo do mundo todo simplesmente para comparecer em seus shows. A pergunta é: qual a importância de um fã para você?

É a coisa mais importante. Sinceramente, é o que eu penso. Bem, depois da minha namorada Lori e do meu cachorro Hoshi (risos). Mas, falando sério, sem a lealdade destes fãs eu jamais poderia estar fazendo o que faço. Eu sei que parece dramático, mas acho que sequer estaria vivo sem os meus fãs. Cada um deles é importante para mim e eu detesto desapontá-los. É por isso que eu amo mimá-los.

Agora vamos brincar um pouco com a imaginação. Agora você pode formar duas bandas, sendo uma prog e outra de rock clássico. Com Arjen nas guitarras, quem você escolheria para voz, teclado, baixo, bateria e um segundo guitarrista? Você agora é livre para criar o seu supergrupo.

Acho que a maioria deles já terá morrido (risos). No baixo eu teria o Phil Lynott, mas poderia também ser o Geddy Lee. Na bateria eu ficaria com o John Bonham ou o Cozy Powell. Meu segundo guitarrista poderia ser o David Gilmour, Ritchie Blackmore ou o Brian May. Mas eu não negaria o Steve Vai também. Nos vocais eu escolheria o Robert Plant, ou um dos já falecidos Ronnie James Dio ou John Lennon. Com esses músicos eu formaria ambas as bandas, prog e rock.

Arjen, desejo-lhe ainda mais sucesso com o novo lançamento do Ayreon, "Electric Castle Live And Other Stories" e os seus projetos futuros. Ficamos por aqui esperando por novidades. Obrigado.

Obrigado pelo interesse em minha música. Fico muito agradecido. Foram ótimas perguntas. Espero que os fãs curtam também, e espero que eles gostem do “Electric Castle Live And Other Stories” em DVD/Blu-ray/CD/Vinyl, etc... Desde já agradeço a quem comprar e espero que fiquem satisfeitos.

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: