Para os que respiram música assim como nós


Entrevista: Simone Simons

Acessos: 427


Autor: André Luiz Paiz

27/08/2019

Traduzido por: André Luiz Paiz

Simone Simons é considerada hoje uma das grandes vozes do metal sinfônico, ao lado de estrelas como Tarja, Floor Jansen e Sharon den Adel. Começou a integrar o Epica com apenas dezessete anos e juntos conseguiram atingir um status impressionante na cena. A banda segue inovando e periodicamente lançando material de qualidade. O Epica está comemorando em turnê o aniversário de dez anos do álbum "Design Your Universe" e passarão pelo Brasil. Além disso, estão divulgando também o lançamento de um novo livro, que trará a trajetória do grupo contada pelos próprios membros. Através da Nuclear Blast, Simone gentilmente nos atendeu para falar sobre a turnê, o livro e os planos para o futuro. Confira mais esta exclusiva para o site do 80 Minutos. Veja mais sobre o Epica em seu site oficial.

Olá Simone! Então, o Epica estará de volta ao Brasil em comemoração dos dez anos do álbum "Design Your Universe". O que podemos esperar destas apresentações?

Nós estamos muito empolgados em voltar ao Brasil, pois nós amamos o país, amamos os nossos fãs, o clima, as comidas e as bebidas. "Design Your Universe" é um dos meus álbuns favoritos e nós tocaremos muitas músicas dele. Será ótimo voltar ao Brasil e estaremos no Rio e em São Paulo.

É um álbum que gosto bastante. Quais as suas principais lembranças daquele período?

Nós gravamos o álbum com Sascha Paeth, no Gate Studios. Lembro-me que algumas coisas foram um pouco diferentes. O nosso guitarrista havia decidido sair, nós estávamos buscando por um substituto e rapidamente encontramos o Isaac, que nos ajudou bastante com as partes de guitarra e também no final do processo de composição. Naquele momento, nós contávamos com um novo membro na banda, o que foi excitante por um lado, pois não havia mais problemas ou coisas ruins entre nós. A avó de Mike também faleceu durante as gravações e todos nós a amávamos muito. Nós ensaiávamos com o Epica em sua casa, no porão, então ela foi uma pessoa muito importante para nós. Eu dediquei "Tides Of Time" a ela e o Mark "Kingdom Of Heaven". Como um todo, "Design The Universe" é um dos meus álbuns favoritos do Epica, de toda a discografia.

A banda recentemente anunciou que lançará um livro sobre a história da banda. Como esta ideia surgiu e o que você pode nos contar sobre "The Essence of Epica"?

Bem, nós vimos estes livros fantásticos sobre o Opeth e o Lacuna Coil e sentimos que já era tempo de contar aos fãs um pouco mais sobre a história do Epica. Os dias bons e os ruins, lembranças engraçadas e mais informações sobre nós. É claro que será acompanhado de muitas fotos, a maioria ainda inéditas. Então haverá muito conteúdo ainda não publicado sobre os membros da banda. E nós cobriremos o grupo desde o início até depois do "Attack on Titan". Então, será uma leitura bem divertida para os fãs, com muita informação.

E quanto veremos de Simone Simons neste livro?

Exatamente o mesmo que os demais membros. Falaremos sobre a banda como um todo. Cada um dos membros fará uma introdução, dizendo como a música começou a fazer parte de sua vida, sobre os estudos, a nossa infância e como a banda se formou, as turnês, as gravações dos álbuns e as nossas lembranças divertidas dos fãs. Então, cada membro falará da sua vida, seja como uma pessoa privada ou também como parte da banda.

Simone, após mais de quinze anos ao lado do Epica, como você descreveria esta jornada ao lado do grupo. É definitivamente uma jornada, certo?

Sim, com certeza! Eu costumo dizer que eu basicamente cresci com o Epica. Eu comecei quando tinha dezessete anos, hoje tenho 34, então, vários anos se passaram e eu era basicamente uma adolescente no início e hoje sou uma mulher adulta e também uma mãe. Eu viajei o mundo com o Epica e este vem sendo o ritmo da minha vida. Eu não vejo como um trabalho, mas como um estilo de vida. É um desafio às vezes (risos), principalmente quando você tem uma criança, mas eu amo essa variedade, amo ser criativa, viajar o mundo e estar no palco.

Na sua opinião, qual o motivo do Epica ter chegado tão longe e ainda ser relevante na cena?

Eu acho que principalmente porque os fãs gostam da nossa música. Nós continuamos produtivos, lançando CD's a cada dois ou três anos e excursionando entre eles. Nós também temos uma boa conexão com os fãs. Então, acho que essa é a receita do nosso sucesso (risos).

O que eu gosto bastante é que vocês dificilmente se repetem, demonstrando mais maturidade a cada lançamento. Vocês costumam discutir sobre o direcionamento de um novo trabalho?

Nós gostamos de analisar após cada álbuns que gravamos, o que podemos aprimorar antes de iniciarmos um novo ciclo. O que gostamos, o que não gostamos, temos que entender que são seis pessoas compondo música para o Epica e fazer com que todos fiquem felizes é bem difícil (risos). Mas, estamos em uma banda, então temos que fazer as coisas juntos, e estamos sempre tentando ser melhores, aprender com nossa experiência e transformar isso em coisas boas.

Eu gostei muito do álbum "The Holographic Principle". A banda estava tão criativa naquele momento que até lançou o EP "The Solace System", com faixas remanescentes. Você ainda se sente orgulhosa do álbum?

Eu acho que o "The Holographic Principle" é um álbum bastante energético. Eu tenho as minhas músicas favoritas dele e também do EP "The Solace System", mas eu posso honestamente dizer que já estou pronta para as sessões de gravação do novo álbum, pois excursionamos bastante com as músicas do "The Holographic Principle" e agora é hora de começar um novo capítulo.

E como surgiu a ideia de gravar a trilha do anime "Attack On Titan" e lançá-la?

Pediram a nós para fazer um cover das músicas da trilha sonora de "Attack On Titan". Apenas alguns de nós sabiam o que era (risos), então pesquisamos um pouco e pensamos que poderia ser uma grande oportunidade para nós como banda tentar algo novo e eu simplesmente amo o que as músicas se tornaram. São as canções mais rápidas que já fizemos e os meus vocais também são os mais rápidos que já fiz.

Depois deste capítulo, vocês lançaram "EPICA vs. Metropole Orkest: Beyond The Matrix - The Battle", em mais uma abordagem incomum. Como isso aconteceu?

Sim, houve uma competição feita pela orquestra para escrever ou gravar uma composição de um artista alemão e o Epica venceu esta competição, graças à lealdade dos nossos fãs que votaram em nós. Acabou também sendo uma versão bem diferente de "Beyond The Matrix", o qual definimos como realmente uma batalha psicodélica entre nós e a orquestra.

E vocês contaram com a participação do fantástico Arjen Lucassen. Você está ótima em "The Source", do Projeto Ayreon. Nós veremos mais colaborações entre vocês no futuro?

Muito obrigada! Sim, eu tenho trabalhado com Arjen Lucassen e estarei nos shows ao vivo do "Electric Castle Live", em setembro. Eu e Arjen somos amigos e definitivamente continuaremos a trabalhar juntos. Sou sua fã, acho que ele é um gênio musical e um cara bem legal. Então, é um encaixe perfeito para mim.

Mark disse recentemente à imprensa que o Epica já trabalha em um novo álgum. Há algo sobre ele que você possa nos contar? Ele será novamente diferente dos demais?

Definitivamente será diferente. Nós evoluímos a cada disco que fazemos e estamos bem empolgados. Está bem no começo e estamos coletando ideias para letras e melodias. Os caras estão compondo as músicas e espero contribuir com elas o quanto antes. Estou muito curiosa em saber como o próximo álbum será.

Obrigado Simone, espero que a turnê seja um sucesso. Este espaço final é seu! Obrigado!

Obrigada pela entrevista! Nós estamos empolgados para estes dois shows no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nossos shows no Brasil são sempre fantásticos e temos os nossos melhores fãs aí, então, venham curtir conosco! Mal podemos esperar para vê-los. Obrigada!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: